sexta-feira, setembro 2

Tchau Bacalhau

Cena: almoço do evento "Supplier Day" da empresa, Adriana tem que papear com 3 fornecedores que ela não conhece, dentre eles um português. Português vê meu sobrenome holandês, essa minha tez morena ( já tô pálida que nem lombriga de novo ), e nem se toca que eu sou brasileira. O chamarei de Sr. Bacalhau. O diálogo foi em inglês.

Sr. Bacalhau: Acho que sua empresa está cometendo um erro muito grande em abrir uma planta no Brasil, naquela terra não há gente honesta.

Eu: O senhor já esteve lá?

Sr. Bacalhau: Várias vezes, em cada vez sofri uma desonestidade. Dos diretores de empresas até os porteiros do hotel, são todos desonestos.

Eu: O senhor foi para o Brasil então porque?

Sr. Bacalhau: É, o dono na minha empresa insiste em fazer negócios no Brasil, diz que as vezes se perde, mas também se ganha muito. Eu por mim, não faria negócios ali. Eu, por mim, nem contrataria brasileiros, falam alto demais, estão sempre atrasados, a pausa do café sempre dura o dobro, só pensam é no dia do pagamento.

Eu: ( mudando pro português ) Nossa Sr. Bacalhau, então serei eu a primeira brasileira honesta, pontual, competente que o senhor vai conhecer?

Fiquei com dó dos outros fornecedores, ambos alemães, que ficaram de boca aberta. Eu mudei pro inglês e comentei: o que me entristece é que quando o Brasil estava "down" e muitos tentavam a sorte em Portugal, sofriam discriminação, eram tratados como inferiores, acho que ainda o são, no entanto, no Brasil, cada estrangeiro é recebido  com um sorriso no rosto, é convidado prum cafezinho, tem tratamento especial, o povo vai logo perguntando se eles estão gostando do Brasil - e com genuíno interesse. Agora que o Brasil está "enriquecendo", os mesmos portugueses que nos discriminaram vão ser tratados como reis se forem tentar ganhar um dinheirinho pro lado de lá do oceano.

O Sr. Bacalhau até tentou desconversar mas depois calou. Talvez eu devesse ter ficado quieta, mas vocês sabem né, não tô podendo.



9 comentários:

Helga disse...

Hahahahaahhaahaha, adorei o passa fora que o Sr. Bacalhau tomou!
Vá comer bacalhoada em outras praias, meu senhor.
beijão, Dri

Eliana disse...

Bom, ele não é o único que pensa isso do Brasil. Convenhamos que ao ouvir as notícias pela CBN...dá uma tristeza. No entanto a cena deve ter sido hilária...a hora que ele se deparou com uma brasileira depois de dizer tais impropérios hahaha
E é isso mesmo...estrangeiro chega lá e é recebido de braços abertos.

Julieta disse...

Adriana, você fez certo, adorei o que você disse para o português,ele mereceu,ri bastante! Abraços.

Monica Peres disse...

Espetáculo!
Parabéns pela atitude!

Nunca vi povo com tamanha baixa auto-estima como o português, como se não bastasse a ireal imagem que fazem deles mesmos, ainda tem que "gongar" os outros.
Queria ser uma mosquinha e ter visto a cena, isso eu queria!
bjs

Joyce Dias disse...

Excelente história! É de rir muito mesmo!

Alice disse...

Ha!

Margarida Nobre disse...

Olá Adriana

Acompanho o seu Blog há muito tempo e divirto-me imenso com os seus posts,bem escritos e com grande sentido de humor!
Embora este comentário sobre os métodos de trabalho dos brasileiros tenha sido feito por um Português ( infelizmente!),também me recordo de há algum tempo atrás a Adriana ter escrito um post em que falava de um comentário muito parecido feito na empresa onde trabalha...presumo que por um Holandês!...
Contrariamente ao que alguém escreveu por aqui generalizando sobre o povo Português ( alguém que conhece com certeza muito mal o povo Português e Portugal!) eu não tenho a minha auto-estima nada em baixo,não comento em público sobre os outros e tenho muito orgulho no meu país com mais de 1000 anos de história!
Um abraço

Marcita disse...

As características que ele fala dos brasileiros eu vejo em cada português com o qual trabalho. Chegar na hora? Ui, difícil. O café dura horas, quando não tem o cigarrinho. Telefone o dia todo...

Simone Westerduin disse...

Adriana 10 pra você. Independente de ser português ou não ele deveria ser mais educado e não fazer esse tipo de comentário sobre nacionalidade nenhuma. Que comente com a esposa na cozinha de casa, ou com o colega português do bar, profissinalmente é vergonhoso.

Beijos