terça-feira, julho 24

中国上海市天钥桥路30号美罗大厦16楼

A Márcia comentou essa semana sobre o filme Food Inc, que eu assisti assim que ele ganhou o oscar há uns anos, foi televisionado na Holanda em dobradinha com um programa do Jamie Oliver sobre a produção de ovos na Europa. Eu fiquei tão impressionada que desde então tento só comprar carnes e ovos orgânicos – pra falar a verdade, só carne de boi que eu ainda não consigo comprar orgânica, só carne moída. Mas a moral do filme e do programa do Jamie é a mesma: se o produto custar muito barato, não compre!

Interessante que é exatamente o oposto do que todo mundo faz, não é? É só um supermercado anunciar um frango a 3 euros e todo mundo sai correndo pra comprar, ninguém se pergunta, como pode uma ave ser criada, abatida, conservada, empacotada, transportada com refrigeração e chegar às prateleiras por 3 míseros euros.

Nessa linha de pensamento, se for muito barato não compre, falo sobre os produtos chineses. Estou agora na minha área de trabalho investindo em me especializar com compras na China, e gente, é chocante.

Minha área é a de plásticos, um dos materiais que, mal empregados, tem um grau de toxidade que pode ser ultra prejudicial pra saúde, se não fatal. Existem plásticos que precisam "respirar" antes de ser moldados porque liberam gases venenosos, outros que depois do primeiro uso começam a se decompor, outros que jamais se reciclam… escolher o plástico ideal pro que você quer usar é uma ciência complicada, pra poucos! Um exemplo, essa garrafinha de água que você compra no mercado e continua usando por semanas, enchendo todo dia, ela foi engenheirada, na Europa, para durar 5 vezes a vida útil, ou seja, depois da quinta vez que você usou a garrafinha, ela começa a liberar partículas que vão, na água, pro seu sistema. O produtor da água não tem responsabilidade alguma pelo mau uso que você faz, ele só precisa indicar na embalagem que depois do uso você tem que descartar a embalagem ( símbolo de um homenzinho jogando algo no lixo ) e que pode ser reciclada. Você escolheu ficar usando a garrafinha por semaaaanas? Problema seu.

A mesma coisa é esse povo que fica inventando o que fazer com embalagens vazias, todo mundo achando que tá abalando bangu reaproveitando embalagens. A reciclagem mais responsável e eficiente é você entregar a embalagem plástica para um profissional de reciclagem, aqui na Holanda os containeres laranja, o resto é pataquada pra parecer ecologicamente correto, uma bobagem sem fim.

But I digress. Estava falando da China. Gente, pelamor, fuja desses produtos do 1,99. Se vocês tivessem a menor idéia de como são feitos! Mas Adriana, a Mattel terceiriza a produção na China, qual a diferença de eu comprar uma Barbie oficial e uma genérica? A Mattel é uma empresa ISO / TS ela é auditada anualmente e tem que exigir dos fornecedores em qualquer parte do mundo padrões mínimos de qualidade ( uso de material não tóxico, sistema de produção monitorado, tintas e tecidos armazenados propriamente, funcionários com padrão mínimo de conforto e ergonomia no trabalho, etc etc etc ). Mesmo assim, em se tratando da China, é uma luta inglória. Quando estive em Taiwan, que dizem ser uma versão muito melhorada da China, visitamos uma fábrica onde as moças sentavam num banquinho duro, meio altinho, e uma moça tinha o banquinho, que já era péssimo, quebrado. Nós mostramos pro supervisor que estava nos levando pra visita e imediatamente eles foram lá buscar um novo banquinho pra moça. Algumas horas depois, quando estávamos indo embora, passamos pela moça e adivinha? Ela estava de volta ao banquinho quebrado. Aí vocês perguntam, porque sempre pegam a Mattel com problemas ( ou outras multinacionais ) e nunca as Xing-lings barateeenhas? Porque as Xing-lings não são auditadas!!! Ninguém sabe que raio de materiais são usados, se um lote estiver envenenado não tem como tracear e fazer recall dos produtos, há motivos pra custar tão barato: é uma merda!

Uma das coisas que me dá mais arrepio são aqueles "tapueres" chineses. Neguinho compra no torra-torra por 1 real 5 vasilhas, e não pensa que há algo de errado em algo que custa 20 centavos e tem que ser produzido com plástico não tóxico, embalado, embarcado da China, armazenado, distribuído. E ali vai a comida da família inteira, crianças inclusive, que não tem resistencia pra esse tipo de químicos.

A desculpa principal de quem compra produtos Xing-ling é que "o original, o europeu – brasileiro" é a mesma coisa, mas você paga a marca. Desculpa fajuta! Você paga pela materia prima superior, os controles de qualidade, e os impostos, claro, que muitas vezes são sonegados com esses produtos de camelô.

De onde vem essa minha ira com os Xing-lings hoje? Precisamos fabricar uns tubos de ventilação. Tenho uma cotação européia para o molde+sistema de corte que custa €130mil, o chinês, €44 mil. Investigando o motivo, vi que o sistema de corte europeu consiste numa faca ( parece aqueles cortadores de frios ) dentro de uma "gaiola" – essa gaiola garante que rebarbas de plástico não voem nos olhos do operador, uma capa para lâmina que garante que o operador não esbarre por acidente principalmente em final de turno quando ele está cansado – na lâmina, o sistema de acionamento de corte é o sistema de dois botões ( você posiciona a peça no dispositivo de corte, trava, fecha a gaiola e precisa apertar dois botões separados, um com cada mão, pra cortar a peça – isso garante que operadores tenham as duas mãos em segurança – foi na inexistência desse dispositivo que o Lula perdeu um dedo ). O sistema de corte chinês? É uma guilhotina, muito parecida com aqueles de cortar papel no escritório ( em 1970 ). Perguntei pro chinês como se evitava acidente de trabalho com a tal guilhotina, ele respondeu: o operador é instruído a prestar atenção ( !!!! ). Agora vejam quanta hipocrisia nossa: nós queremos que nossos maridos, filhos, irmãos, trabalhem com todas as normas de segurança no trabalho, mas os chineses… ah, problema deles.

10 comentários:

Leonardo disse...

blz. Tem mais de meio ano que uso a mesma garrafa plástica para tomar água aqui no serviço... acho que vou jogar ela fora....

Sandra disse...

Putz!! Eu que já era cismada com os xing lings da vida, agora é que não compro mesmo. Desde que vi uma reportagem sobre a toxicidade do plástico e do chumbo fiquei com medo dos made in china. Mas não sou hipócrita: tenho produtos made in china, mas acho que são coisas que não fazem mal pra mim, mal com certeza fizeram mal para o chinezinho que trabalhou lá no chão de fábrica. Triste.

Marcita disse...

Dri,
O filme ainda está a causar impacto em mim. E tenho feito mais ou menos como você fala no post. Não consigo comprar tupperware no chinês. Brinquedos pro meu filho? Nem pensar! Comprei uma linha pra minha máquina de costura que eu tive que jogar fora. Acho as coisas do chinês de má qualidade. No meu trabalho as pessoas perdem a cabeça com sapatos e roupas chinesas. Sinceramente? Acho o preço bem parecido com a H&M. Casaquinhos por € 12! Os sapatos e as bolsas são de plástico, não compro mesmo.

Denise disse...

É de fato o capitalismo trouxe muito desenvolvimento, mas traz também a desgraça de muitos trabalhadores... Haja vista em outros tempos um email que andava a circular na Internet que mostrava o ambiente totalmente desumano e hostil onde o "funcionários" do grupo Indesit (Zara, Berska, Mássimo Dutti, entre outros)trabalham e inclusive até crianças a trabalharem!!! Eu também detesto falsificação e recuso-me a pagar o preço que pagaria numa loja num shopping center, além de melhor qualidade do produto! Infelizmente a falta de respeito pelo trabalho é um problema muito sério em muitos países, inclusive no próprio Brasil, onde não preocupações com a segurança dos trabalhadores. Tenho fé e muita esperança que isso mude, nem que tenha que pagar mais por um determinado produto! :)

Eliana disse...

Pois é, há que se repensar muitas coisas, porém é duro vc colocar na cabeça de fulano que tem 3 filhos em casa, onde cada tostão vale ouro. Nós ainda podemos nos dar "ao luxo"de optar, mas tem muita gente que não tem escolha, não. Vai correr pros sapatos descartáveis, pros plásticos que deformam, pros brinquedos baratinhos porque é só até o próximo Natal mesmo. Enquanto houver desigualdade os chineses vão aproveitar mesmo.

Alice disse...

Horrorizei com a história da garrafinha.

Bruna. disse...

crédo..não sabia disso não !

Marcia disse...

Eu já sabia sobre a água, aliás aqui na Alemanha tem depósito para quase todas as garrafas, o sistema é bem mais amplo do que na Holanda. E sim, medo do dia em que os chineses dominarem o mundo, e este dia está chegando.

Aline Matos disse...

Não vi o filme mas é a segunda vez que leio sobre os malefícios do plástico. Acho que este fim de semana vou tirar umas horas para me desenvencilhar de todo o plástico baratinho que tenho aqui por casa. Atenção aos sacos de plástico para conservar alimentos. Pergunto-me se as coisas que compramos embaladas em sacos de plástico são fiáveis. Água só gosto de beber da torneira mesmo. Nem confio nos copos de vidro e o modo como são lavados. Tentamos ter uma alimentação saudável mas por vezes esquecemos alguns pequenos detalhes que são mais importantes do que comer alimentos não biológicos. Obrigada Adriana pelo post.

Gisa disse...

Olha, pra falar a verdade eu tambem nao gosto de produto de marca fabricado na China.

E pra falar a verdade jà faz muito tempo que estou boicotando marcas famosas que produzem na China. Uma vez vi um documentario que mostrava como esses funcionarios trabalhavam. As marcas foram cobertas, mas dava pra entender que eram marcas bem famosas. Legal, Dolce & Gabbana (exemplo) paga 1 euro por uma calça e vende por 3000... E viva o trabalho escravo chines!
E viva mulheres futeis que pagam 3000 em uma bolsa feita com mao de obra escrava sò porque tem a marca "Versace" (sò exemplo).
Sempre falo pra todo mundo que baba nas marcas italianas: Nao acreditem na etiqueta "made in Italy" das marcas famozèrrimas: tem uma lei italiana que permite que um produto fabricado na China tenha etiqueta "Made in Italy" se ao menos os botoes forem italianos. Sacou?
E viva a confindustria italiana!!