segunda-feira, abril 20

Brazuca versus Lourão

Bom povo, vamos voltar um pouco ao "Adriana business talk - panic under control".

Estou tendo que fazer negócios ( ou tentar ) com o Brasil. Fazia tempo que eu não lidava com fornecedores brasileiros, e sinceramente, espero não ter que fazê-lo tão cedo. Não pelo lado do contato pessoal, muito pelo contrário, gerentes de vendas brasileiros são infinitamente menos insuportáveis que os europeus, mas business is business, e é muito mais complicado fazer business com brasileiros. Começa que poucos falam inglês, e quando falam é macarrônico, eu tenho que ficar traduzindo conversa de engenheiro, o que adiciona um processo ( e uma complicação ) ao bom andamento do negócio. Depois, vem o fator "matéria prima". O Brasil ainda produz muito pouco na área dos plásticos, a maioria do substrato vem da Europa, e aí os custos dobram ou triplicam até chegar no estoque do fabricante da peça em si. E tem mais, as gigantes B@SF e B@YER acabam usando o Brasil como outlet de material de segunda, o que acaba criando mais scrap ( material rejeitado ), que acaba sendo incluído do preço. E, para acabar, graças ao salário mínimo quase decente do nosso Lula a mão de obra não é mais tão barata.

( Insight )

Eu acho ótimo a merendeira escolar receber 400 paus de salário ao invés de 200. Acho fantástico o novo plano do Lula de aumentar o salário da merendeira pra 560 paus. However... isso tira o Brasil da lista dos "Low Cost Country", o que não é uma tragédia, desde que haja um plano econômico para se substituir produção para exportação por produção para o mercado interno. Ou seja, o Brasil tem que importar menos já que vai exportar menos, se quiser ( e tem que querer ) manter a balança comercial. Ou tem que exportar mais produção agrícola. E o mercado interno tem que crescer para consumir os produtos industrializados que antes eram destinados à exportação.

(End of Insight)

Mas voltando aos negócios com os brasileiros... E ao fim da nossa última conferece call, quando os engenheiros já tinham saído da sala, o gerente de vendas brasileiro pergunta: Adriana, esse target price seu, quão perto eu preciso estar pra pegar o negócio? E esse é o ponto, europeus, quando passam um target, passam uma figura super confiável, transparente, calculada até nos centavos. E brasileiros blefam, mais que jogador de poker meio bêbado no Tropicana sexta à noite. Aí o brasuca olha pro target do lourão e pensa: o cara tem 10% de blefe nesse target. E o lourão, que passou semanas calculando o target pensa: esse brasileiro é careiro, tá 10% acima do target. E o negócio nunca rola. Esse com o brasileiro agora não vai rolar, já avisei aqui. Sem falar que na segunda conference call o gerente de vendas já tava me chamando de "Dri". Meus colegas que me vêem todos os dias há um ano não me chamam de Dri, o cara lá nunca me viu e já "Drizou" meu nome. Tjá.

Aqui na Europa, to whom it may concern, a quebradeira continua. Agora temos o "gerente especial de falências", que coisa! É um cara que fica só gerenciando os projetos que visam substituir o fornecedor quebrado, vai à reuniões com o administrador de falências. Por enquanto são "só" 9 empresas falidas. Mas a boa notícia é que pelo menos o segmento de carros de passageiros está começando, levemente, a reagir. Essa reação vem dos incentivos que o governo alemão está dando, principalmente para os carros barateeenhos. Já tem até uma modesta filazinha de espera para se comprar um Fiesta, e a Volkswagen também está aumentando a produção dos pequenos. Enquanto isso, no Brasil-sil-sil, tem fila de um mês pra se comprar um Toyota. O índice de vendas de março de 2009 é o mesmo, senão levemente superior ( WTF??? ) à 2008. Brasileiros têm mesmo o incrível dom de sublimar a crise, qualquer crise. Nunca pensei que fosse dizer isso, mas a porra-louquisse-financeira do brasileiro vai acabar salvando o país da recessão que assola o resto do mundo. O poder do cheque pré, do cartão de crédito e do limite do cheque especial jamais será subestimado novamente. E quem por ventura perder seu emprego para a crise(zinha), é só procurar uma "nova colocação" no SPC, eles devem estar cheio de vagas abertas.

4 comentários:

Alice disse...

Wow!

Fernanda disse...

Eu não posso falar muito do cara brasileiro pq eu tenho a péssima mania de ficar encurtando o nome das pessoas sem conhecer muito bem. Eu tento dar uma controlada mas não vejo muitas melhoras.
E tb não posso falar muito sobre a linha de pensamento do cara quanto ao target price pq assim é que calculamos na minha área … em relação com qualquer país. Meu chefe belga ‘through and through’ chega ao disparate de anunciar um target price 20% menor do que ele realmente precisa quando estamos comprando tarifas.

Isso do BR é verdade. O cheque especial, o cheque pré e o cartão de crédito fez com que a crise não passasse de um disse me disse. Se vc não está em determinado setor de emprego, ou não estuda o mercado financeiro, diria que nada demais aconteceu!
Faz idéia de quantas dicsussões eu tive por lá com neguinho falando que as empresas européias e americanas que estavam declarando problemas financeiros e demitindo várias pessoas estavam, na verdade, só de jogada.
Irritante!

vcdarcie disse...

Ótimo post.

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,