terça-feira, abril 27

Vergonha


Vergonha…

http://blogs.estadao.com.br/tv-e-lazer/2010/04/26/quico-garante-lideranca-de-ibope-ao-sbt/

Não me conformo desse lixo ainda dar IBOPE no nosso país.

Não me lembro de nunca, em país algum, ter visto algo tão ruim, tão baixo nível quanto esse lamentável programa.

Aliás, tenho uma prima, hoje com uns 25 anos, que quando criança chamou a vizinha de bruxa do 43 ( ou sei lá que número ) e a vizinha, até com alguma razão, foi tirar satisfação com meu primo ( o pai ), que se desculpou, colocou a filha de castigo e ela e a irmã nunca mais viram o programa. Péssimo exemplo pras crianças.

Muito, muito blé.

O triste é que esses atores só sobrevivem graças à audiência brasileira, porque nem no México fazem mais sucesso.

O engraçado é que a polícia do politicamente incorreto reclama até da cor da pele da Beyonça em reclame de tinta pra cabelo, que pouco influencia crianças, mas essa abominação passa incólume ao crivo delas.

Depois, quando o filho virar um semi-analfa que não passa nem em vestibular daquela faculdade que expulsou a loira do vestido curto, mãe reclama. Ué, vai ver que o filho tomou pau no vestibular "sem querer querendo".

Blézão praquela baixaria.

4 comentários:

Claudinha disse...

eu gostava de Chaves. E vi Kiko semana passada no Ratinho ahahahahha

Ma disse...

Baixaria pra mim é Marcia Goldsmith, Ratinho, Pânico na TV, Chaves é bobo e chamar a vizinha de bruxa é constrangedor pro pai, mas coisa de criança.

Amaline disse...

Eu assistia Chaves e adorava!
Acho até bem inocente se comparado a tantos outros programas atualmente direcionados a crianças no Brasil.

Juliana disse...

Tenho uma pergunta pra você, Dri, se não for invasiva demais. Como você fez quando se casou com a questão dos sobrenomes? Mudou o sobrenome pro do seu marido? porque estou bastante confusa...se caso no civil aqui, mudo o sobrenome e coloco o dele no final, mas daí quando me mudo praí, ficará tão esquisito com o sobrenome dele no fim...enfim, se puder me responder, agradeço.
Obrigada.