segunda-feira, fevereiro 4

Oi, breque de boi! ( expressão paulista que não quer dizer nada )

Dir-vos-ei, fiéis leitores, fazer dieta é uma merda, não importa qual.

Não tô falando de dietinha de quem quer emagrecer 10 quilinhos, tô falando de dieta messssmo, de gente gorda messssmo.

Praquele que diz que essa dieta ou aquela dieta dá mal humor ou cansaço: todas dão! Gorducho tá acostumado a acordar e comer dois pãezinhos de padaria, com manteiga, moçarela, presunto, daí o Vigilantão – que garante que você pode comer de tudo – te deixa comer meio pãozinho sem miolo com uma milimétrica camada de Philadélphia Light ( ou requeijão zero, que me disseram que no Brasil agora tem ). Me digam, como não ficar de mal humor?

O fato pra mim é, não importa se você vai cortar carbs, se você vai contar pontos, se você vai tomar shakes, meu corpitcho se rebela com qualquer restrição. E a dieta-não-dieta da Paca também não tem futuro: se eu for comer o que quero e pronto, só comeria pipoca e double chocolate cookies pro resto da vida, e muitos, minha gente.

Então que, no meio da Dukan, fui de viagem a trabalho pra Alemanha. E vou aproveitar o gancho pra parar de falar de dieta, que isso é assunto de gente chata ( pior é o gordo-dieteiro que fica narrando a perda de peso dia-a-dia ).

Todas as vezes que vou pra Alemanha, amo as cidades que visito. E olha que nem todas são turísticas não. Dessa vez chegamos em Munich, que é linda, maravilhosa, fantástica; e fomos em direção à fronteira rumo a uma cidade chamada Deggendorf. Nos hospedamos ali, passeamos pelo centrinho da cidade – lindinho, parecia uma pintura – jantamos muito bem. No dia seguinte fomos montanha acima para a cidade de Zwisel, onde fazem os cristais famosos. A temperatura vai caindo, muita neve, e emoção: vi meu primeiro ski-lift! A cidadezinha é bem simpática também, pena que nosso “tour” tenha sido perdidos, com um dos colegas teimando em não usar o TomTom ( coisa de homem, claro ).

Preciso um dia pegar um carro e fazer a Rota Romantica pela Bavária.

E, pra não perder o costume, sabem qual foi a última do Old Fart? Ele estava falando de uma negociação, que o fornecedor “levou dele até as calças”, um colega brincou “ah, mentira, você ainda está de calças”, e ele sem pensar um minuto abriu as calças e jogou as calças no chão, ficou aqui no meio do departamento de cuecão samba-canção. Claro que isso aconteceu quando eu não estava aqui, mas ao menos 5 pessoas viram. Agora pergunto-vos: esse senhor tem algum problema psicológico ou não?

4 comentários:

Marcita disse...

Ri alto. Grande Old Fart ilustrando bem o que diz!
Sobre a Bavária, vale a pena um passeio de carro. Eu amo muito a Alemanha.
Dri, se eu comesse o que quisesse, passaria o dia alternando entre batata frita sabor presunto e barras de chocolate branco.

Eliana disse...

A Alemanha tem algo mágico, pra qualquer canto que se vá. Me simpatizo e muito com os passeios, mesmo aqueles de bate e volta. Agora que cena é esta de Old Fart? Ele quer ser ator???? Tive que ler duas vezes eu último parágrafo pq é de desacreditar! E o ano só tá começando, hein? rs

Holandesa disse...

esse 'omi' é dóido! Sabia que podiam dar queixa disso no departamento de RH e aí sim, ele sairia 'sem calças" e fundos da empresa... Quer se livrar dele, taí, deixa ele cavar a própria cova dele...

Marcia disse...

Simmm, Alemanha eh tudo de bom! E venha para Berlim um dia.