quinta-feira, fevereiro 28

R.E.V.O.L.T.A.D.A.

Deixa eu contar um pouco da minha perspectiva de "como é viver num país socialista".

 

Ontem um colega brasileiro comentava as maravilhas européias, transporte público bom, escolas bonitinhas, etc etc e etc. E sentenciou: olha que beleza as coisas num país onde não tem roubalheira. Verdade, caro colega, ajuda, mas a razão da belezura toda é bem outra: colega, você paga a maior taxa de imposto de renda brasileira que é 27.5%, eu pago 52%!

 

Sexta feira recebemos nosso salário adicionado do bonus de participação nos lucros da empresa. Como é pago ao mesmo tempo, 52% do meu bonus vai direto pro Leão. É injusto.

 

Na Holanda, é pecado mortal, passível de punição severa, merecível de torturas bárbaras, ganhar um pouco a mais que o "Jan Modaal" ( Jan Modaal é a personificação do cara que ganha o salário médio, que oficialmente é €33 mil por ano, que dá uns €1700 líquido por mês ). É pecado ir pra um hotel cinco estrelas de férias enquanto metade do país só tem grana pra acampar, eu só queria que alguém viesse aqui na empresa e checasse quem está aqui as 7 da noite, talvez eu deva colocar filminho no youtube do nosso Jan Modaal, apelidado de Forest Gump, que bate o ponto as 15:30 e corre, literalmente, casaquinho flutuando ao vento, pro carro pra evitar a fila que se forma no portão da empresa nesse horário – a fila dos Jans Modais. No Brasil a gente diria: vê as pingas que eu tomo, mas não vê os tombos que eu levo.

 

Um dos meus funcionários, assim como vários colegas e mesmo as amigas, reclamava que ele e a esposa vão ter subsídio ZERO na crèche da filhinha recém nascida de acordo com a nova lei. Com dupla renda, merecem duplo castigo. Por outro lado, meu funcionário Jan Modaal é casado, a esposa tem "depressão" e não pode trabalhar e ganha salário desemprego. Ela fica em casa o dia inteiro, mas tem que fazer tratamento psicológico duas vezes por semana, e não tem condição mental de cuidar dos filhos, logo o mais velho vai pra escolinha e o novinho vai pra crèche meio periodo todos os dias – enquanto ela fica em casa "deprimida" – e a família tem reembolso de 80% da crèche. E tem reembolso de €70 euros por pessoa no plano de saúde, e tem reembolso de aluguel. No fim do mês, o Jan Modaal tem livre €1000 na conta; que é o mesmo que meu colega do lado tem livre, com a diferença que ele tem mestrado, trabalha 50 horas por semana, praticamente todos os dias chega em casa tão tarde que a filha já está dormindo, e a esposa está já se preparando pra voltar a trabalhar.

 

Eu, sinceramente, vejo socialismo só da divisão de renda, na divisão de trabalho – ha ha ha, faz me rir.

 

É demotivante pros jovens, e é por isso que a Holanda há anos tem que importar mão de obra especializada – diga-se: com grau universitário. Aqui na Empresa acabamos de contratar um Mexicano, em abril começam uma Taiwanesa e uma outra brasileira. Fiz pessoalmente entrevistas para as vagas de "recém formados". Hoje em dia, pra atrair esse pessoal holandês recém formado, além de um salário legalzinho, você tem que prometer celular da moda, laptop fantastico, mil viagens de trabalho, e chegaram até a perguntar se ganham carro da empresa – benefício normalmente dado a empresas de consultoria, que dá o tal carro porque o funcionário está sempre indo de cá pra lá em clientes, e normalmente o salário dessas empresas é abaixo da media – meio que pra compensar o benefício do carro. Mas então… é difícil achar aquele candidato com vontade de pegar no batente, de ralar mesmo…

 

Essa taiwanesa que vai trabalhar conosco vem de uma das nossas empresas nos EUA. Durante a entrevista, havia um "gap" de 8 anos entre o fim da escola básica ( o colegial taiwanês ) e a faculdade. Ao ser perguntada, ela não se vexou: ela vem de uma família camponesa que não podia pagar faculdade pra ela, ela foi então pra Taipei, trabalhou 8 anos pra juntar o dinheiro pra faculdade. Quando começou a faculdade, era 8 anos mais velha que todos os outros alunos, e de uma classe social inferior, por isso a vida social dela foi limitada e ela estudou dia e noite. O resultado foi uma bolsa pra fazer MBA nos EUA e foi assim que ela acabou entrando na filial Americana. O chefe holandês e a moça do RH não cansam de repetir a história dela, porque aqui, pra holandesada, é uma história fantástica, ninguém aqui faria isso! Ou melhor, deixa eu criar um loop na generalização, poucos fariam isso. No fim, estudando ou não, trabalhando ou não, todo mundo acaba com mil contos na mão. Ha ha ha, novo motto holandês.

 

E já que já estou reclamando mesmo… Não vou usar praticamente benefício nenhum do governo holandês, mas pelo menos minha aposentadoria vai ser uma belezura… ERRADO! Pensam que minha aposentadoria está incluída nos 52% de impostos que eu pago? Necas de catipiribas. Em cima disso, ainda pago 8% de fundo de pensão, vai somando aí quanto dinheiro do meu salário eu não vejo. E como se não bastasse, esses 8% aparentemente não serão suficientes para garantir 75% do meu salário médio de aposentadoria, logo eu pago uma pensão "complementar" que dá uns 3% do salário. E, pra embelezar a situação, sei lá quem decidiu – vai ver foi a rainha antes de pendurar as chuteiras – que os fundos de pensão fizeram merda com aplicações financeiras em 2008-2009 e agora todo mundo tem que "doar" 6% do seu fundo de pensão pro Sinter Klaas. Sem choro nem vela.

 

Bom, tá aí, minha revolta. Daqui pra frente saibam: socialismo de ** é ****. Sou capitalista ferrenha, defenderei "cada um que cheire sua merda", ao invés de sempre ser forçada a cheirar a merda dos outros. Casa social? Taca fogo. Creche? 300 contos de desconto por cabeça, independente da renda, não pode pagar crèche, adote um cachorro.

 

R.E.V.O.L.T.A.D.A.

 

12 comentários:

Rita Martzold disse...

Meu Deus!!!!

marcia nickless disse...

Realmente as pessoas penssam que vc fica sentada e o dinheiro caindo em suas maos, e eh tudo muito bonito, facil. Mas nao querem ter o trabalho de passar inclusive pelo leao de cada dia. Eh poque isto nao esta no bolso deles.

pacamanca disse...

Eu queria saber por que você sempre bota depressão entre aspas.

Monica Peres disse...

Adoro estes posts!
Chega de pintar de cor-de-rosa 'tudo', lugar assim não existe, e se existe não é neste mundo não!
Os benefícios que o governo dá são um escândalo!
No quarteirão onde meu namorado mora tem 10 casas, 6 pessoas (casas) estão penduradas no governo.
Os doentes mentais e 'deprimidos' são maioria (sim, entre aspas, pq 15 anos deprimido é dose!) .
Não tem dinheiro que chegue para sustentar essa mamata toda!
Sai do bolso de quem trabalha e leva uma vida 'normal' (entre aspas pq normal é relativo...)
A vila do meu namorado tem 6 mil habitantes.
Tem uma creche (vazia), 1 escola black, 1 escola 'normal' (sic) e uma escola protestante (paga).
E o povo pagando tudo isso!
De novo, otimo post Adriana!
bj

pacamanca disse...

Então vocês decretaram que depressão é frescura e não doença, é isso? A pessoa pode ser diabética por 15 anos mas não pode ser deprimida por 15 anos?

Patricia disse...

Esta foi uma das razões por termos ficado nos Estados Unidos e pago do bolso pelo green card. Amo Itália e França, mas com a economia de merda destes países não dá para morar lá, a não ser que a gente fique bem rico e se mude. E na Bélgica, país do marido, acho que se paga ainda mais impostos que na Holanda. Quem não tem filho só se ferra mesmo!

Mas em sociedade capitalista vc nunca teria o tanto de férias que tem na Holanda...marido teve que renunciar aos 49 dias da Bélgica pelos míseros 20 aqui nos States (negociado, pois ofereceram 15!). Eu tb só tenho isso, dá umas ferias de nada por ano. Sempre tem os dois lados da moeda, pense nisso! Beijos

Holandesa disse...

Dri,
Não existe lugar perfeito. Em todo o caso, se vc acha q o Brasil é melhor, vc sempre pode voltar pra lá. Arranje sua empregada paraguaia, gaste a outra metade do salário tentando pagar seu seguro de saúde, carro, casa, condomínio e os impostos Brasileiros. Eu me pergunto o qto sobraram pra fazer 2x mega-viagens de férias por ano. Olha que nem estou tocando num outro quesito importante: segurança.
Concordo q o sistema holandês não é inteligente por que não estimula o povo a ir trabalhar. Muito pelo contrário, já q ficar em casa rende mais devido aos benefícios e subsídios, mas ainda prefiro ficar por aqui do que voltar... Minha opinião.

Eliana disse...

A holandesa expressou bem a minha linha de raciocínio. Pelo menos aqui a gente paga e tem as coisas, de certa formas, garantidas!
A igualdade traz estabilidade e mesmo sentindo que estão te sacaneando, vc ainda tem seus benefícios garantidos! rs

Luana disse...

"não pode pagar crèche, adote um cachorro." eh por essas e tantas que eu tenho dois gatos! hahahaha
Eu sou totalmente a favor do capitalismo... Eu tenho dois mestrados, estou terminando meu doutorado, falo 4 linguas, trabalho 10 horas por dia (sem contar as aulas de holandes durante a semana) e ganho o mesmo que a sonsa da sala ao lado que fez um curso tecnico e que ta sempre "deprimida" em casa, deixando trabalho nas minhas costas... Tomar no c*...

Adorei o seu texto!

Kelly Cristina disse...

Parem de reclamar e se acharem as vitimas da sociedade.
Fiquem em casa com seus €1000,- garantidos + subsidios - enchessão- de-saco-de-patrão. Pronto, resolvido.A Holanda não ficará mais pobre sem as mão de obra de voces e nem por pagar-lhes para ficar em casa. A questão é se voces se aguentam a si proprias em casa....penso que não, por isso(tbm) vão trabalhar, reclamar e meter o pau em quem fez outra opção de vida. São por sinal mais inteligentes que voces, diplomadas e estressadas.
Esse dramalhão de voces contando eu tenho diploma, eu falo tantas linguas eu trabalho tantas horas....vá tomar n...fiquem em casa choronas ambulantes!!

RENATA RZ disse...

Olá, encontrei o seu blog através do Mundo.Pequeno.
Sei que vc não ganha nada com este blog e não se importará se eu não voltar mais aqui.
A sua opinião sobre o socialismo' holandês estava sendo até bem explicada e tirando o fato de eu preferir ter saúde do que ter depressão, de resto seus argumentos eram aceitáveis.
Até chegar no último parágrafo: um infeliz monte de palavras mesquinhas e preconceituosas.

Fico contente em ver brasileiros que pensam assim, terem que passar a pagar 50% de imposto de renda, além de plano de saúde obrigatório e seguro previdenciário. No mínimo podem aprender alguma coisa.



minhasviagens disse...

Parabens pelo post!!!