quinta-feira, novembro 17

Breaking Dawn*

Hoje eu ando me perguntando muito se o que eu acho que eu quero é mesmo o que eu quero.

Uma vez uma leitora escreveu que trabalhava só mesmo para ganhar um dinheirinho porque precisava ajudar em casa, mas que não tinha ambição nenhuma de fazer carreira, de mudar de cargo, de crescer na empresa. Esse comentário deixado num post há anos ainda “haunts” me ( me persegue? ).

Eu trabalho numa empresa que eu gosto, eu fui promovida a um cargo de gerência há pouco mais de um ano, e confesso que nunca esperei que como estrangeira, mulher, fosse chegar a isso, tenho colegas de quem gosto, levo 6 minutos da porta de casa a porta do departamento, ganho bem. Mas, então porque será que hoje estou tão incomodada com meu trabalho? A carga horária que continua pesadaça, o trabalho que muitas vezes não é reconhecido, as mil vezes que eu tenho que sorrir e engolir um sapaço “OldFartiano”, o colega que está indo pra um curso mirabolante em Seattle e eu não, as reuniões que continuam se multiplicando como um virus… Vou falar pra vocês, middle-management é uma bosta. B.O.S.T.A.

O pior é ver que a crise está vindo. A produção já está cortada em um terço e cortar-se-á mais. Hoje abrimos um site de aço e todas as graduações estão mais baratas, sabem o que isso quer dizer? Que tá todo mundo consumindo menos, que tá todo mundo reduzindo suas produções. Na fábrica, os funcionários já estão tensos: será que teremos 2009 novamente? Demissões, sindicato na porta, redução de jornada de trabalho, todos os gastos cortados…

Por isso vos digo, colegas de blog, essa não é a hora de procurar emprego novo, aqui nas Zuropas ou melhor, na Holanda, tem a tal lei-espelho: dividem todo mundo em faixas etárias e o ultimo a entrar é o primeiro a sair. Não é hora de gastar din-din – quem sabe onde o facão vai atacar ( ai meus sais, será que minha viagenzinha pra Kokomo vai pro beleléu? ).

De resto… tudo como dantes no quartel de abrantes. “Vamos” trocar o carro da minha mãe, meu zolder ainda não foi feito, ainda tô gorda, ainda estou estudando holandês, ainda não achei como desligar o corretor de texto ( que virgule era aquela, Anderson? ), mas faltam só 17 dias pra eu jogar tudo pro alto, mandar tudo às favas, e ir molhar a bunda no mar baiano.

Sabem mais o que eu tenho que fazer? Aprender a crasear. Sou péssima em crases e a Paca ( blog pacamanca ali do lado ) voltou a blogar, dessa vez com comentários abertos. Sugestão de post pra Paca: o mistério das crases.

Tcheu ir lá cuidar da vida, que a morte é certa.

*Inspirada pelo filme que vi ontem e adorei, vos digo, tive um momento Breaking Dawn no staff meeting de hoje, o que causou o momento macambúzio no qual me encontro.

2 comentários:

Holandesa disse...

Eu estava esperando um post sobre o filme, como idicado no título e o que leio é tudo menos do filme!... Isso é propaganda enganosa!!!

Daniella Goracci disse...

Oi Adriana,
Também moro em Eindhoven e adorei seu blog. Você fala de uma maneira super engraçada e descontraída!

Bjos