quinta-feira, setembro 13

A carta que eu jamais escreverei

Querido ex,

Hoje faz exatamente 20 anos que estabelecemos nossa sociedade: eu entrei com a bunda você entrou com o pé.

Naquele dia, aos 19 anos, eu passei pelo pior dia da minha vida. Passaram-se 20 anos e ainda acho que foi o pior dia da minha vida.

No dia que nos conhecemos ainda "no colegial", você me perguntou o que eu queria fazer da minha vida, eu disse que queria morar no exterior, ser gerente de um monte de gringos. Irônico, não é? Estou exatamente onde e como eu queria - desde adolescente - estar, e por vezes o sentimento de realização me deixa sem palavras. Você não se lembra, mas eu sempre quis muito muitas coisas, sempre enfrentei batalhas homéricas pra conseguir o que eu queria, mas por todo o caminho, nunca botei muita fé em mim mesmo, o que sempre tornou o trajeto muito mais angustiante, e a realização muito mais inacreditável. Sim, minha vida é inacreditável.

Te vi no facebook. Não se faça de surpreso, todas as suas exes te viram pelo facebook, não conheço uma mulher que não seja "stalker" de ex no facebook. Você achou uma menina legal e bonitinha, casou, teve um filho, e eu sei que isso tá parecendo música da Adele. E nosso breakup não foi nada Adele, foi Engenheiros do Hawaii mesmo, com muito Pra ser sincero, muito Refrão de Bolero.

Você tem idéia do quanto sofri? Chorei, me descabelei, tomei meu primeiro pileque, escutei os discos da Ângela Ro-rô... Me acabei por 3 meses, mas... porque sou pragmática e sofrendo ou não, a fila teve que andar. Já que era pra ficar lembrando de você, pelo menos o fiz em ótima. companhia, em lugares muito legais, curtindo altas festas ( o que agora chamam de baladas ), tive vários outros namorados, mas devo confessar que se nos 10 anos que se seguiram você estalasse o dedo, eu estaria de volta babando por você.

Você foi a única chance que eu tive de ser feliz com a vida da maioria dos meus amigos, com a vida do meu irmão, com a sua vida! Seria eu a ter um filho, a morar num apartamento legal em São Paulo, a ir pro Nordeste de férias e passar duas semanas na Disney em julho, curtindo com nosso filho e estourando o cartão de crédito. Nós moraríamos perto da minha família, perto da sua família, e eu ía tentar evitar os almoços de domingo com a sua mãe porque ela era um saco. E eu não me perguntaria se eu teria sido mais feliz se tivesse ido pro exterior ser gerente de um monte de gringos, porque eu estaria plenamente feliz e esse seria só mais um desvario da adolescência.

Hoje, é por você ter existido, que eu amo tanto o meu marido. Ele já entrou na parada perdendo de légua, com uma competição completamente injusta. E no entanto aqui estou eu, há dez anos com ele, feliz, vivendo essa minha vida inacreditável.

Há alguns dias uma amiga me perguntou se minha tattoo no pé tem algum significado, e eu disse que sim mas que não queria contar. Você quer saber o significado? Quando você me deu o pé na bunda, no meio dos choramingues todos, eu jurei que um dia eu ainda haveria de te dar o pé na bunda metafórico, e que nesse dia ía gravar no pé "eu chutei a bunda do Eduardo". Se passaram 9, quase 10 anos, mas um dia eu acordei e, sinceramente, não tinha mais nada em mim de você. Foi esse o pé na bunda metafórico, e claro que eu não ía estragar meu lindo pézinho tatuando seu nome nele, então representei o chute com 3 estrelas, uma amarela, porque eu estava muito realizada profissionalmente, uma azul, porque eu estava incrivelmente feliz, uma vermelha, porque eu estava pronta pra amar, amar muito, outra pessoa.

E foi só nesse dia, com a tatuagem ainda ardida no pé, que eu olhei pra foto sua que eu tinha guardada, e antes de jogá-la no lixo, comentei com a minha mãe: nossa mãe, não é que você tava certa? O Eduardo era mesmo vesgo!

10 comentários:

S. W disse...

Adriana que post!

A quase 5 anos atrás eu entrei com a bunda também e o ex com pé bem dado depois de um aniversario. Até aquele momento eu nunca tinha gostando tanto de ninguem na minha vida, estava feliz pra caramba quando recebi a noticia de que ele tinha conseguido um trampo na Australia e já estava com tudo arrumado (sem me avisar nada). Imagina o coco do cavalo do bandio que eu me senti? Ate entao o sonho dele, depois de estudo nos US sempre foi morar no exterior. O meu? Virar Project Manager na empresa que eu trabalhava em Sao Bernardo do Campo, comprar um carro pra parar de ficar no alagamento com o fretado... simplona. Tao simplona que quando eu disse que poderia ir depois encontrar ele na Australia ele RIU! Afinal eu era super simplona mesmo. Nesses ultimos 5 anos eu praticamente fiz tudo o que eu podia pra mostrar pro ex que eu podia sim ir pro exterior (nao interessa aonde e como) - eu vim! Que eu sim teria um emprego legal, que eu encontraria um cara mais lindo, mais alto e mais inteligente do que ele - checked! Enfim, o ex voltou ao Brasil depois de 2 anos na Australia, tem um emprego maomenos, o maior feito foi sair de Sao Bernardo do Campo e ir pro Itaim Bibi, tem uma namorada com metade da minha idade e sim eu ainda falo com ele no facebook, porque eu nao nunca vou me cansar de agradecer a ele pelo pé na bunda que me mandou pra frente.

Beijos

Adriana disse...

S.W., eu não agradeço não. Foi sem dar nenhuma explicação, sem dar nenhum aviso. Depois do acontecido, fiquei anos sem entender o porquê. Hoje eu entendo, mas foram 20 anos. Foi sofrido demais, não aprendi nada, só sofri mesmo. Nada do que eu consegui realizar teve influência alguma daquele pé, fiz porque queria, porque tinha que fazer, teria feito mesmo se nunca o tivesse conhecido. Foi uma experiência ruim e vazia. Blé. Espero que meus sobrinhos nunca tenham que passar por isso. beijos, Dri

Camila disse...

Ex bom é aquele que deixa saudade. Ainda tenho marcas da tortura psicológica e violência emocional de um ex, apesar dos 13 anos de distância. Não consigo agradecer pé na bunda - nesse caso eu dei, mas já levei vários - mas aprendo a não repetir erros e tento conscientizar quando vejo alguém numa situação parecida com a qual eu passei.

Erzenholz disse...

tb ja levei um pe na bunda sem explicacao. Era o amor da minha vida e tudo estava bem, de repente...foi sofrido, mas depois de uns anos me recuperei e hj agradeço nao ter dado certo pq sou muito feliz com meu amor real!

gislene silva disse...

Nossa menina, to me matando de rir com este seu post,vc é única para escrever !! N tenho tido mto tempo, mas qdo tenho algum corro pra ler seus posts e sempre me surpreendo !! Vc é absurdamente hilária, tem um senso de humor magnífico !!
Bjs,

Alice disse...

Gostei de saber da tatoo. Obrigada!

Wilma disse...

Dri você escreve muito bem, já disse o mesmo outras vezes. Penso que essa ferida não fechou. Aos 19anos amamos o amor e às vezes nos confudimos. Comigo foi assim, levou tempo mas passou quando eu entendi isso. Mesmo passados 20anos, uma vida, você sempre fala dele, bom que podemos ler uma carta tão bonita, mas me entristece porque é bom esquecermos daquilo que não nos fez bem.

Daniela Pedrinha disse...

Que delícia poder escrever esse tipo de carta... ficamos mais leves e definitivamente viramos a página! Adorei. bjs

Adriana disse...

Wilma, o que sempre falo é outro, foi meu noivo, e esse, ah, esse eu esqueci em 2 meses, aliás, cada vez que vejo no facebook faço sinal da cruz porque ele está MEDONHO. O Eduardo ainda tá bonitinho, vesgo, meio carequinha, mas bem passável. Bjs, Dri

S. W disse...

Mas Dri, se eu nao tivesse tomado o pe na bunda provavalmente essa hora eu o apice da minha vida seria ir comer bolinho de camarao em Santos e sentar o bar preferido dele pra tomar cerveja (naquela epoca era o que fazimos no fim de semana e pelo que eu sei ele faz ainda hoje). O safado ainda brinca com a minha idade (ele e mais novo 2 anos, mas acha que sao 10). Aquele pe na bunda foi precioso. Ter perdido o rumo da minha vida, ter chorado no ombro dos amigos em comum... acho que tudo isso serviu de alguma coisa, nao sei bem do que, porque ate hoje ainda acho o fdp gateenho e sarado, mas eu tenho a vida que ele queria ter e isso compensa :)

beijos