quinta-feira, agosto 23

Made in Brasil com s

Deixe eu contar do lado de cá, um lado que o brasileiro não vê.

Todo, TODO brasileiro reclama das altas cargas de impostos sobre produtos importados, como pode um tênis que custa US$50 nos EUA, custar R$400 no Brasil?

Deixe eu explicar porque é ótimo que haja tantos impostos de importação no Brasil.

Minha empresa quer vender caminhões no Brasil. Percebam que eu disse “vender” e não produzir.

Há vários anos a empresa pesquisa a possibilidade de simplesmente importar os veículos da Europa e vender no Brasil, mas sempre esbarraram em duas dificuldades.

A primeira: caminhões são considerados bens produtivos de uma empresa, assim como maquinário, e podem ser financiados pelo BNDES via o programa FINAME, que tem juros bastante atrativos. Tanto grandes frotistas quanto os pequenos empresários que tem 5, 4 caminhões, às vezes até aquele caminhoneiro que tem um só, utilizam esse programa de financiamento e esse é um ponto importante na hora de decidir pela marca A ou B. A minha empresa, poder colocar caminhões no mercado que possam ser financiados pelo FINAME tem que provar que 60% das peças são produzidas no Brasil. Muito justo isso, afinal, o governo brasileiro não vai ficar financiando produtos que dão empregos pros Chineses ( ou alemães ou holandeses ).

A minha empresa então decidiu que uma opção era financiar ela mesma os caminhões com as mesmas condições do FINAME, afinal nossa empresa tem contratos ótimos com bancos americanos e poderia bancar a conta do financiamento barato. Mas…

A segunda dificuldade: as taxas de importação para o produto acabado são tão altas, que o produto seria “invendável” no Brasil.

A solução? Abrir os cofres e construir uma fábrica no Brasil! E minha empresa, assim como tantas outras, estão criando literalmente milhares de empregos diretos e indiretos porque foram “forçados” a se instalar no Brasil.

Minha empresa escolheu o norte do Paraná, e já se vê a mudança que uma empresa dessa causa numa região que necessita de empregos: as escolas técnicas já estão trabalhando em parceira para treinar funcionários pras linhas de montagem, vários funcionários para os escritórios estão mudando de Curitiba e outras cidades para lá, movimentando também o mercado imobiliário, escolas pros filhos; transportadoras estão abrindo escritórios, empresas especializadas em empacotamento e estocagem, etc e tal…

E nos fornecedores, os que já estão instalados no Brasil estão contratando gente extra, e os que estavam pensando em se instalar no Brasil, receberam o empurrão necessário.

Então na próxima vez que você meu colega brasileiro pensar em reclamar sobre o preço do produto importado, pense duas vezes. Pode ser que uma dessas leis protecionistas de mercado esteja nesse momento sustentando seu emprego!

4 comentários:

Foragida (Moo) disse...

Ótimo argumento!

Wilma Santos disse...

Ah com certeza!! eu só reclamo do IR e outros que não vejo retorno. Gostei do post, bom saber que há leis atentas a esses que querem ganhar o máximo e se possível explorando o menos avisado.

Patricia disse...

Hummmmm, eu sou do norte do PR, Maringá...será que a fábrica será por aquelas bandas? Só curiosidade :) Bjs

Adriana disse...

Patrícia, será em Ponta Grossa, já começaram a construção, e por enquanto os escritórios estão operando dentro do CEFETE. abraços, Adriana