quarta-feira, agosto 8

Ninguém é de ninguém - que babaquice!

Só vou dizer uma coisa, tem gente que quer ser tão moderninha, tão pra frentex, que acaba perdendo o senso do que é certo e errado, do que é normal ou não.

Hoje em dia, ninguém precisa namorar-noivar-casar, pode ficar, sair, transar, tudo sem o menor compromisso, logo, se a pessoa – de comum acordo com o parceiro – resolve namorar, ter um relacionamento, ser exclusivo, trair o outro é errado, é feio. Chateia, machuca.

Será que é moderno deixar de lado o “o que não queres para ti, não o faças aos demais”?

Há alguns anos uma blogueira postou uma foto chocante de uma moça com mas argolas enfiadas pelo corpo todo e por elas penduradas por correntes, esse era, segundo a blogueira, o fetiche da moça e ela achava que não estava no direito de dizer a filha que aquilo é anormal ou de julgar quem o faz. Caramba, será que estamos loucos? Você não pode falar pra sua filha, a quem você tem que educar, que aquilo não é o normal, que sentir prazer na dor extrema não é normal, mas que tem gente que é assim e pronto?

Vejo a luta inglória que é hoje em dia dar certos limites pros filhos adolecentes, afinal, tudo pode, tudo é normal, tudo começa tão cedo… Se minha sobrinha pudesse, a vida seria baladas, festas, roupas, os amigos, meu irmão é que tem que ficar segurando, selecionando que tipo de “balada” é aceitável pra uma menina de 13 anos, que amigos são “gente de família”, mas pra que – se tudo é normal, se tudo pode, se tudo vale? Eu usei pra ela outro dia o exemplo da tal traição do casalzinho Twilight – claro que aos 13 anos ela é fã do ex-casalzinho twilight – meu conselho foi simples: não importa se o cara é legal, é lindo, é maravilhoso, não importa qualquer promessa ou conversa mole que o cara jogar pra cima de você, é casado? Diga não obrigada. Ah, mas o cafajeste é ele Você também é, se aceitar se relacionar com um homem casado, veja só a dor que causou não só à mulher do cara, mas aos filhos… Mas enquanto eu estou dizendo isso de um lado, a matéria na internet tem 100 comentários “ninguém é de ninguém, se ela foi procurar fora de casa, é porque o namorado não estava cumprindo o papel dele”. WTF people?

Pergunto: temos bom senso o suficiente pra distinguir o que é normal e o que não é normal? Como ensinar as novas gerações que o certo e o errado existem sim , e que um ser humano tem que ter princípios?  Como mostrar que o nucleo familiar está mudando – graças a deus – mas que respeito pelos sentimentos alheios não deve não pode! – ser opcional ou facultativo?

6 comentários:

Anna disse...

Falou e disse! eu fico de boca aberta com a falta de noção do povo hoje em dia!

Eliana disse...

As pessoas estão sem perdendo referência de respeitoao próximo, onde o que vem em primeiro lugar é a satisfação do ego sem pensar nas consequências de suas atitudes. Não gosto de pensar muito nisso, mas sou pessimista e acho que neste sentido as coisas só tendem a piorar, infelizmente.

Liliane Gusmao disse...

Adriana,
Geralmente quando vejo um texto com um discurso preconceituoso nos blogs que eu leio eu fecho a janelinha e vou embora, deixo para lá mesmo. Mas infelizmente hoje não consegui fazer isso. Talvez por que gosto muito do seu blog e das suas histórias do jeito como voce as conta e me entristeceu muito ver tanto preconceito na sua fala.
Achei que valia apontar os preconceitos da sua fala, talvez voce repense um pouco ou talvez não. Afinal o blog é seu e voce escreve nele o que voce quiser...
Acho muito natural que voce não curta BDSM, mas isso não quer dizer que outras pessoas no mundo não curtam, acho, pessoalmente, que se há consenso vale tudo o que se possa imaginar... Somos mais 6 bilhões e ninguém é igual, dizer que umas coisas/pessoas são normais e outras não é sim muito preconceituoso. E ao dizer que quem curte BDSM é anormal, voce está espalhando preconceito com seu discurso.
Outro ponto complicado é julgar a relação alheia, não sei se voce ainda está falando do caso das celebridades que trocaram de parceiros. Não acompanhei esse assunto, mas acho que se eles estão em crise isso é lá um problema deles que não teremos nunca como avaliar estando de fora. Não sabemos qual era o arranjo que eles tinham só sabemos o que mostram os programas de fofocas. E esses programas não são confiáveis e mostram só o que é interessante para agarrar a audiencia.
No caso de impor limites para as baladas de garotas de 13 anos o que eu acho que precisa é conversa e informação. Em baladas tem sempre bebidas e drogas, pegação e sexo. E ninguém quer que uma garota de 13 anos experimente nada disso ingenuamente. E para ela não experimentar ingenuamente, proibir a balada não resolve, só o que resolve, é informar.
Falo de cadeira, proibir de ir em alguns lugares de frequentar algumas pessoas não vai impedir o acesso da garota as coisas/pessoas proibidas. Ela pode muito bem experimentar tudo que tem na balada e encontrar as pessoas proibidas numa tarde depois da escola com a desculpa de fazer um trabalho da escola na casa de uma coleguinha...
O melhor sempre é dar a informação, sem mentiras, nem julgamentos, falar das consequências. É assim que os adolescentes aprendem a ser responsáveis.
Desculpa o comentário tão extenso.

Denise Fernandes disse...

Concordo integralmente com você Adriana, acabou que na verdade não existe mais limite para nada, tudo pode! Mas não pode NÃO!!! Eu tenho um grande exemplo em minha própria casa, onde a minha filha adolescente com 16 anos, é o espelho vivo de uma menina que tem a idade que tem, é muito bem equilibrada, educada e acima de tudo ela é feliz...Que na verdade, penso que é isso que está faltando para essas pessoas com esse tipo de comportamento! As pessoas não tem mais o discernimento do que seja real ou irreal e vai em busca de tudo para tentar buscar a tal felicidade, quando na verdade, a felicidade é tão simples de ser encontrada e vivida... Falta na verdade, muito AMOR nas relações de pais e filhos e pais e mães, de irmãos... amor pelas coisas mais simples, a busca de prazer na convivência do dia a dia, com os fauna, flora, seres humanos... estão todos com uma venda nos olhos recusando-se a ver o que há na nossa frente!!! Obs: não sou religiosa, não sou pertencente a nenhuma seita religiosa do tipo daquele ator famoso de hollywood, sou apenas uma mulher, bem casada que tem uma relação de amor na familia e com os meus 2 cãezinhos lindos!!!

Denise Fernandes disse...

Concordo integralmente com você Adriana, acabou que na verdade não existe mais limite para nada, tudo pode! Mas não pode NÃO!!! Eu tenho um grande exemplo em minha própria casa, onde a minha filha adolescente com 16 anos, é o espelho vivo de uma menina que tem a idade que tem, é muito bem equilibrada, educada e acima de tudo ela é feliz...Que na verdade, penso que é isso que está faltando para essas pessoas com esse tipo de comportamento! As pessoas não tem mais o discernimento do que seja real ou irreal e vai em busca de tudo para tentar buscar a tal felicidade, quando na verdade, a felicidade é tão simples de ser encontrada e vivida... Falta na verdade, muito AMOR nas relações de pais e filhos e pais e mães, de irmãos... amor pelas coisas mais simples, a busca de prazer na convivência do dia a dia, com os fauna, flora, seres humanos... estão todos com uma venda nos olhos recusando-se a ver o que há na nossa frente!!! Obs: não sou religiosa, não sou pertencente a nenhuma seita religiosa do tipo daquele ator famoso de hollywood, sou apenas uma mulher, bem casada que tem uma relação de amor na familia e com os meus 2 cãezinhos lindos!!!

itamar garrido disse...

Concordo plenamente com a Adriana e também com você Denise, essas relações promiscuas que ninguem é de ninguem é que esta matando O amorr,carinhooo,comprensãoo,amizade e cumplicidade entre os casais e está atraindo o objeto sexual,falta de respito,traição,desonestidade,falta de caráter,destruindo familia,lares,pais,mães,filhos,não é atoa que porto alegre e RS está no Rankig da Disseminação da AIDIS-HIV,parte vem de pensamentos assim que ninguém e de Ninguém,por isto muintos casais se matam e matam uns aos outros . onde há descencia nisto, Isto é uma Vergonha.
Parabéns por abordar este tema que a televisão tenta nos colocar guela abaixo e o povo como maria vai com as outras vai a trasss e aiii que perdemos nos filhos, sem uma referencia perdidos para o mundo,achando que tudo isto é normal .