quarta-feira, julho 28

Que ódio não poder fazer nada!


Ontem em matéria do Estadão, falava-se que desde 1947 nunca os brasileiros viajaram tanto para o exterior, e que como o fluxo de turistas extrangeiros não é correspondente, a balança comercial está se desequilibrando e que vai chegar a 1 bilhão de dólares de "desequilíbrio".

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100727/not_imp586445,0.php

Agora eu pergunto: não é pra morrer de raiva?

Quantos de nós morando aqui no exterior já não passou calvários para organizar uma viagenzinha pra terra-pátria? A matemática é óbvia, com tudo mais fácil e preços melhores no exterior, é fácil o brasileiro organizar e pagar uma viagem pros EUA ou Europa, agora, se o americano ou europeu quer ir ao Brasil, é tudo complicadíssimo, o sujeito acaba desistindo e pegando um dos zilhares de pacotes all inclusive pro México, Jamaica, até Punta Cana, que nem um padaria-farmácia-boteco numa rua tem, oferece mais de 30 resorts de tudo quanto é tipo.

Isso sem falar nos desmandos dos preços dos hotéis no Brasil. A resposta dos profissionais de turismo é sempre a mesma: tem mais demanda que oferta, então quem quer ir pra determinado lugar, paga o que cobram. Que ódio! Me dizem que eu deveria entender uma pousadinha em Fernando de Noronha cobrar 800 reais por noite, mas eu não entendo o absurdo de uma ilhota no Brasil cobrar a mesma coisa que um resort numa ilhota da Polinésia Francesa. Mas no fim, acabam dizendo que o custo operacional lá é altíssimo ( mais alto que numa ilhota na Polinésia Francesa? ) e como eu não sei mais detalhes, fico quieta ( not! ), mas… qual é a desculpa pra uma pousadinha em Trancoso, terra firme, a poucos quilômetros da acessível Porto Seguro, cobrar os mesmos 800 contos numa diária? Ou em Itacaré?

Na verdade, é a falta de planejamento dos orgãos de turismo brasileiros, aliados à lei de Gerson dos donos de hotel ( quanto mais puderam sangrar seu bolso em proveito próprio, sangrarão ) que produzem essa vergonha que é o turismo nacional. Em países como o México por exemplo, estima-se que uma família de 4 pessoas vai deixar, fora o que pagou no hotel-pacote, 1000 dolares por semana no país. São gastos com restaurantes, aluguel de carros, atrações turísticas, compras… há um movimento de toda a indústria da região. Quantos empregos são gerados!

Atualmente, a oferta de pacotes prontos nas agências, que é de longe a preferência do europeu que vai viajar com família, é minúscula. No Reino Unido, agências importantes como a Thomson simplesmente cortaram destinos como a Bahia do catálogo deles. Aqui na Holanda nem oferecem, vi pacotes para a Bahia na Alemanha. E mesmo esses pacotes começam a ficar caros em comparação com Cancun/PDCarmen, Cuba, Jamaica, República Dominicana. Uma diária de casal num all inclusive da rede Iberostar em Cancun pode sair por até 90 euros, no equivalente Iberostar Bahia já está 132 euros, o que é uma diferença considerável. E embora eu tenha adorado a Praia do Forte, Playa del Carmen é mais bonito e tem mais o que fazer, então porque é que o europeu vai escolher o Brasil?

E para o viajante independente é ainda pior. Quem acha tarifários nos sites de hotéis e pousadas? São raros! E daí você tem que ficar mandando e-mail e esperando resposta, sem falar na desconfiança que dá. E comprar vôos internos? Parece que a Gol organizou o site internacional deles, mas até 2008, a última vez que estive no Brasil, tive que pedir pra minha família pagar minhas passagens, imagine que até CPF pedem, e pra quê hein?  E aluguel de carro? Alugamos carro em todos os países que visitamos praticamente, e só no Brasil não basta ter o cartão de crédito para garantir eventuais despesas, você tem que deixar um depósito! Onde já se viu isso, depósito! A gringaiada toda olhando de soslaio pra vendedora da locadora, e metade simplesmente desiste, porque é muito louco, deixar 500 reais de depósito no cartão de crédito com a promessa "de boca" que vai ser extornado no fim do aluguel.

E reclamam dos brasileiros que vão para o exterior, mas pudera, até mesmo os resorts brasileiros parte das redes européias querem esfolar os brasileiros vivos. Lá em cima eu falei que a diária do Iberostar Bahia está 132 euros o casal ( em 2008 eu paguei 112 ), mas o brasileiro que for passar uma semana no mesmo hotel, reservando via agência brasileira ( eu pesquisei a CVC e Submarino Viagens ), vai pagar ao redor de 220 euros por casal! O mesmo está acontecendo no Enotel Porto de Galinhas, que agora é da rede RIU. Um pacote para o Enotel por 1 semana está 2900 reais saindo de SP em saída promocional. Uns 500 reais é de passagem, e 2400 reais por uma semana de hotel ( por pessoa ). Isso dá mais de 130 euros por pessoa por noite, ou 260 euros por casal, o dobro! Mas o RIU em Playa está 46 euros por pessoa por noite, ou 92 euros por casal! Dá pra pagar a passagem e ainda sobra troco!

E pra quem a gente reclama? Pro espelho, porque político brasileiro não tá nem aí! Tem algum orgão, tem algum ombudsman?

7 comentários:

http://graceolsson.com/blog disse...

Realmente, tá complicado.
Uma amiga vai passar uma semana no Rio, Ano Novo, e locou um apartamento próximo da praia de Copacabana e vai pagar 9000 reais.
Eu nunca vi uma coisa dessas.
Já na África, na área de safari está bem complicado, tbm. Uma diaria, tudo inclusive, custa exatos 450 dollars per person. Se você quiser dormir no ar condicionado(e quem está dominando tudo por lá sao os europeus).
Viajar pela Europa, ainda é a melhor coisa.Se quisermos ser bem atendidos e servidos.

Já no Nordeste, Maceió, Ano novo, um casal custa 360 reais, no hotel em frente ao mar. Fizemos a cotacao, ontem. Acho que o Rio, Sao Paulo estao esfolando os turistas.
dias felizes
graceolsson.com/blog

Eliana disse...

Já tentou fazer contato com o Estadão, enviando o seu post de hoje? Manda pra eles este post que está ótimo!

Mines disse...

Adriana,
Eu achei sua mensagem SUPER CORRETA e creio que vc tinha sim que procurar algum orgão ou mesmo a imprensa brasileira tipo Folha, Estadão nas editorias de turismo e enviar esses dados! O pessoal la dentro não tem nocao!
Eu ainda acrescentaria a burocra de se reservar algum hotel ou pousada via net, em sites que NUNCA trazem o preco, nem tem traducao em ingles!
Manda bala!

Bruno disse...

Nada a adicionar :D muito bom...

Gostei do final do que vc escreveu pq concorda exatamente com meu ultimo post... ninguém tá nem ai no Brasil... toch?

Simone disse...

Mas não é exatamente isso que eu estava conversando com a minha mãe olhando as "promocoes" das agencias aqui. Ai você ve que pra ir pra Orlando ou NY você vai pagar 1/3 do que passar em alguma praia da Bahia, inclusive pra brasileiros, agora você acho que o povo vai escolher o que?

O meu namorado está vindo, e queremos viajar, eu fiquei até com vergonha de mostrar os preços das passagens e dos hotéis porque realmente nao tem explicacao.

Meiroca disse...

Otimo post!
Viajar dentro do Brasil custa mais caro que viajar da Italia para o Brasil.
Meu marido nao se conforma com os preços cobrados em voos e hospadedagem.
Alguel de carro...è uma fortuna e cheio de "paragrafos". Uma vez algugamos um carro e deixamos um deposito e na hora de devolver uma confusao.
Enfim, adorei o seu grito de alerta.
Bjs

Meire
www.meiroca.com

Sheila disse...

Pegando carona na idéia das meninas, que tal tentar enviar essa "notícia" para o "jornal Hoje", por exemplo.Pois isso é mesmo caso de polícia.