domingo, junho 28

Vestido de chita

Depois de um breve levantamento sobre a condição do meu guarda-roupa de verão, a suspeita se confirmou: estou pelada!

Comprei, há algumas semanas, um vestido longo liiiindo, não vejo a hora de usar. Tenho várias saídas de praia novas, nisso o Brasil, em especial o Nordeste, é imbatível. Comprei também, assim que saiu a coleção verão, um shorts médio de algodão-linho, pra garantir. Fora isso, só trapos.

É contra meus princípios investir muito em roupa de verão. Aqui em casa, nossas roupas de verão são submetidas à condições terríveis, as coitadas. Como frequentemente vamos de férias por longos períodos, fatalmente temos que apelar pra alguma laudromat, conhecemos lavanderia em todos os países! E daí colega, sua blusinha de 200 euros da Diesel vai ter é que aguentar muito o tchak-tchak das máquinas industriais de laudromats.

No Brasil, só as malhas da paulista Scene aguentam o tranco. Mesmo porque, aqui em casa, é lavagem à tombo e secagem à tombo, nem varal temos ( temos um rackizinho pras cuecas preciosas do marido ). É por isso que eu, macaca velha que sou, espero as liquidações holandesas pra abastecer meu estoque. Acabei de chegar do centro e fiz a festa: com 55 euros, na minha loja favorita, comprei uma calça capri cinza, um vestidinho de alcinha rosa e cinco blusinhas muito legais. Tudo com 50% ou mais de desconto, roupas que eu vi no preço original e fiquei só monitorando a liquidação. Agora faltam roupas de alcinha, porque vai estar calor que nem fez ontem aqui, e senhor, quase morri (emos).

Como a Holanda muda no verão! Como EU mudo no verão! Ontem estavam todos felizinhos e saltitantes pelas ruas. O supermercado vazio, muita gente de férias ou simplesmente sem vontade de fazer a "obrigação" de fazer o rancho ( eita como eu lembro da minha cunhada curitibana quando falo fazer o rancho ). E supermercado vazio é o supra-sumo da felicidade pra mim. Ontem fiquei 2,10 hs no AH. Aghhhh como saí feliz de lá.

Agora é esperar a viagem. Carro alugado pros 15 dias, vamos virar aquela ilha do avesso. Ontem comprei também um guia de Rhodos, com "inside tips", que costumamos fazer questão de visitar de cabo à rabo. O duro vai ser aguentar a espera, trabalhando que nem elfo doméstico e passando fome.