sexta-feira, março 5

Ah, a holandesada...


Colega e eu discutindo etiqueta ao atender o telefone.

Colega diz irado: fulano inglês liga, pede pra falar com o E. e nunca se identifica.

Eu pergunto se o inglês se recusa a dizer o nome, e o holandês diz que se ele perguntar, o inglês fala, mas que isso é muito falta de educação.

Ha ha ha.

Uma das coisas que a gente mais estranha quando muda pra cá e que está até no livro undutchables ( "inolandesáveis" ) é que os holandeses quando ligam pra alguém ou pra uma empresa não falam alô, mas sim o nome ou no máximo, os mais educados, incluem um "met" ( com ).

Eu expliquei pro colega que se ele prestar atenção, no mundo inteiro uma conversa telefônica segue mais ou menos assim:

O telefone toca, eu atendo: Adriana vd Broek, companhia tal.

O de lá: Bom dia, eu gostaria de falar com o senhor Hans Batatão.

Eu: Quem gostaria de falar com o Sr. Hans Batatão?

O de lá: É o Pietro Spaghetti da empresa Tutti Mafia.

Eu: Mr. Spaghetti, o Sr. Batatão está num curso e só volta às 4 da tarde, você quer deixar uma mensagem?

O de lá: Diga apenas que eu ligarei amanhã cedo, obrigada.

Eu: De nada.

Bonitinha a conversa, né?

Agora a conversa quando o "o de lá" é holandês e liga pra mim:

O de lá holandês: Gfadjfhauvafh dfajfhdajd fhdja Bananen.

Eu: Desculpe, o senhor poderia repetir?

O de lá holandês: Iós Batatudo da empresa "Desentortando Bananas", o Sr. Hans Batatão está?

Eu: Ele não está, volta às 4.

O de lá holandês: Eu ligo amanhã, obrigado.

A holandesada SEMPRE fala o nome deles numa guspida, sem hello, sem nada, eu nunca capto o nome do sujeito. Tem vezes que o cara já vai falando qual é o assunto na mesma cuspida, aí antes de responder qualquer coisa eu tenho que perguntar qual é seu nome mesmo Hans Batatudo, e fica aquele clima chato, tipo "pô, tô aqui falando há 4 minutos e você nem sabia quem era? ". Eu acho falta de educação nem falar oi, nem bom dia ( às vezes os mais educados falam bom dia depois do nome, mas ainda é cedo no diálogo pra eu me recuperar do susto do bladiblá inicial ), mas os holandeses acham falta de educação iniciar uma conversa sem antes falar seu nome.

Colega ainda discorda de mim, ele não acha que a forma holandesa é ríspida, pra ele é eficiente. E continua achando o povo que liga mal educado. Eu dou risada, afinal isso aqui é um paisinho minúsculo, quem dá lá grandes importâncias se eles fazem assim ou assado.

E o findi tá aí, dizem que vai voltar a nevar. Deus nos proteja, tô de saco cheio.

8 comentários:

Amaline disse...

Tive que quase morrer de rir agora! hahaha!
Tive a mesma discussão com uma colega holandesa ontem, porque o fulano inglês liga e não se identifica, mas é claro que ela também não pergunta. Ela fica uma arara toda vez que isso acontece, rs.
Daí eu disse que prefiro mil vezes ter que perguntar o nome de quem está falando, do que a forma holandesa de dizer nome+sobrenome+nome da empresa+filiação+nome do cachorro, tudo de uma vez só!
E no fim, como não entendo nada, sempre tenho que perguntar: mas qual é seu nome mesmo?

Bom fim de semana!

Eliana disse...

Pois é...este tipo de coisa acontece mesmo...é um porre! Mas não somos só nós que não entendemos de cara, eles, os holandeses, muitas vezes precisam perguntar uma segunda vez, pedem pra soletrar pra saber o nome de quem está falando hahaha E pior foi quando meu colega atendeu, o fulano queria falar comigo, eu perguntei ao meu colega-cabeça-de-queijo quem era, ele me olhou, riu e disse que não tinha idéia do nome da pessoa porque não entendeu hahah durma com um barulho desses! hahaha

Camila disse...

Eu simplesmente nao consigo entender os nomes alemaes!!!!!
Por aqui o alô é considerado falta de educacao, mas nao me importo. Atender o telefone falando o nome soa tao estranho!

Mary disse...

Esse pessoal, hein: qdo falar com um deles vou entrar na onda!

Marcia disse...

hahaha, como sempre se acham o centro do universo, nem passa pela cabeça deles que outros países possuem outros hábitos ao telefone, e que o pobre estrangeiro do outro lado da linha pode não entender o nome dele, que em muitos casos são difíceis mesmo.
Pior que é como já mencionaram, alemão também é assim. Esses dois povos foram mesmo separados pelo umbigo.

Cido disse...

Hans Batatão.... kkkkkkkkkkkkk.... é primo do Hans Mané? Vc me mata de rir. :-D
Aqui na Diná é a mesma coisa. Eu quando atendo o telefone no trabalho já tô com o papel e a caneta engatilhada já pronto pra escrever o nome e de onde é , mas nem sempre consigo anotar, porque vem tudo mesmo naquela velocidade metralhadora "AssistentepolicialHansManédaestacãojheyiqhjkshjegybbdhb"... WTF

Eliecy disse...

Só para confirmar: Meu marido também acha nossa maneira de atender telefone não muito educada por não dizer o nome. Ele ainda não se brasileirou, e teima em colocar o nome usual e não oficiail em correspondências até oficiais, e acha que isso é a coisa mais normal. Diferenças culturais!!!!!!!!!!!!!!

Sds.

Sheila disse...

Booooooa , muito boa!!!

Bem, paciência se eles acham que é falta de educação de nossa parte. Nós sabemos que não é, e sim apenas uma questão de hábitos diferentes.

Meu marido trabalhou numa firma cujo chefe achava falta de educação qdo ele falava COMIGO ( conversa particular) ao telefone em português. Pode ou quer mais??????????

Assino embaixo do comentário da Márcia: se acham o centro do universo...