sexta-feira, março 12

O manjar


Tá em tudo quanto é site e jornal: Carla Bruni trai Sarkozy e Sarkozy trai a Carla Bruni.

Com quem o feioso do Sarkoza trai a Carla Bruni eu não faço idéia, mas me lembrou a história do meu primo Dé.

Dé namorava uma moça muito bonita. Ele em si era de beleza mediana, e muitos diziam que a namorada era muita areia pro caminhãozinho dele. Eu pessoalmente acho que uma pessoa marromenos namorando uma linda de morrer tem que ser muito segura de si, porque os bonitos tem mais oportunidades de fazer o que não deveriam, se é que vocês me entendem. Bom, a namorada fez o que não devia, e ele descobriu.

Como em toda família italiana, o problema virou assunto público de família discutido acaloradamente no almoço de domingo. Os motivos variavam, mas todos condenaram a moça, ela era mesmo uma safardana! Eis que naquela noite, estamos todos na sala assistindo TV quando a gente ouve um horrível uivado vindo da sacada do quarto do Dé.

Dé estava nu, com o traseiro virado pra lua, uivando. Cena de filme pastelão. E chorava. A avó dele ( minha tia avó ) gritou: Dé que é isso? E o Dé responde: os lobos uivam de bunda pra lua e conseguem tudo o que querem, então eu estou uivando pra lua pra me trazer a namorada de volta! E não, ele não estava bêbado, estava, como diria o Wando, louco de amor.

A avó responde: Mas Dé, ela te botou um par de chifres, não te merece! Dé responde: Eu não me importo vó, melhor dividir um manjar com 10 do que comer um prato de bosta sozinho!

E a lua ouviu o Dé, a namorada voltou, namoraram, casaram, tem um filho, estão juntos há mais de 20 anos. Não sei se a namorada, agora prima, voltou a repetir o feito, só sei que se o fez, foi perdoada, porque ela é um manjar, e nem que seja só um pedacinho do manjar é melhor do que vocês sabem o que inteiro.

E além de ser um manjar, ela é inteligente, divertida, amiga de todos, sempre procura ajudar, é ultra bem sucedida, não há quem não goste dela. E vocês sabem né, é mais fácil perdoar os manjares.

Podem dizer que eu não boto fé no meu taco, mas eu jamais me relacionaria com um homem manjarzão, eu viveria neurótica. Na primeira viagem do Bart ao Brasil, ele era mais novinho, todo lindinho, estrangeiro, foi o ó. Na loja da Vila Romana do Ibirapuera, a vendedora colocou um cartão com o telefone dela no bolso da calça que ele comprou, sem falar na voz mole da maioria das vendedoras onde ele comprou roupa. E eu já levei chifre de namorado e é terrível, a gente se sente um lixo. Na minha opinião, não há como salvar um relacionamento onde rolou chifre.

Credo, que assunto pra sexta-feira. Aproveitem povo, que helaas ( infelizmente ), depois dum findi sempre vem uma segunda-feira.

Ó que otimismo.

5 comentários:

Eliana disse...

Olha, não sei o que pensar...mas se a prima manjar voltou para a família, acho que ela devia gostar do primo ou reconheceu que, com ele, ela não teria "dores de cabeça". Agora, esta simpatia aí de uivar com a bunda pra Lua hahaha, ohhh funcionou hahaha

Daniela Pedrinha disse...

Concordo Dri... namorar homem bonito demais, sempre dá dor de cabeça. Eu morro de ciúme, então já viu!

Agora... que cara de pau dessa vendedora heim?! Não me diga que vc estava do lado e elas falando mole assim para o seu marido? Afff...

Espen qdo saiu sozinho no Rio para buscar uns quitutes no mercado, voltou todo risonho pq duas moças ficaram "conversando" com ele, perguntando de onde ele era e dizendo 'Eu adoro a Noruega..' (provavelmente com aquele sorrisinho safado, cheio de más intenções) pode isso?

lilian moreira disse...

Olá Dri,

Adorei o post. Sua família italçiana tem muitas histórias legais, creio que dária um livro.

Bom findi pra ti.

vcdarcie disse...

Ri muito com essa história!!
Bom fim de semana

Mary disse...

Dividir o manjar com 10 do que comer um prato sozinho de B: essa é boa!