terça-feira, agosto 10

Be-a-bá e sente-se porque o post é enorme


Hoje eu estava escrevendo um e-mail pra uma brasileira que acabou de mudar pra Holanda com o marido expatriado brasileiro com algumas dicas, e eu pensava em como deve ser difícil mudar pra cá sem o cônjuge holandês pra explicar coisas básicas.

O lixo. Eu nunca tinha visto uma kliko na vida, e se não fosse o marido explicar o afval kalendar ( agenda com os dias de coleta do lixo ), eu ía penar muito pra sacar o lance. E a coitada já percebeu nosso principal problema no verão, a coleta do lixo normal é feita a cada 2 semanas, ela tem as fraldas do bebê lá fermentando no calor, eu sou a areia com as necessidades dos gatos todo santo dia. Confesso que a única solução que eu achei, e nem sei se é "asociaal" ou não, foi pegar a sacolinha e à caminho do trabalho jogar no cesto de lixo público da pracinha perto de casa, senão não dá pra aguentar a fedentina.

Eu tive ainda que dar a triste notícia de que aqui, até o cachorro paga imposto. Eu não sabia que era tão caro, aqui em Eindhoven são €64 pro primeiro cachorro e €128 pro segundo, no total quase 200 euro-paus!!! Por ano, todo ano!!!

Eu não achava cottonete, aqui a haste não é azul ( é branca ) e vem numas caixas quadradas de plástico. Agora já é mais fácil encontrar nos supermercados, mas naquela época achava-se mesmo só na Kruidvat, Etos e afins.

Outra boa pergunta, considerando que só o AH Extra large tem uns baldinhos e umas vassouras, onde comprar esses apetrechos estranhos mas necessários? Blokker, que é uma loja que não tem igual no Brasil, é como se fosse o departamento de louças, potes plásticos, "pirex", sacos de lixo, vassouras e cia limitada do Carrefour. E tem umas coisas parecidas na Hema, que por sua vez é uma edição limitada das Americanas, acho eu. Minha primeira vez na Blokker foi pra comprar uma tábua de passar roupa, levada pelo marido, claro.

E no supermercado? Que bonitinho os peitos de frango embalados individualmente um por bandejinha de isopor, plastiquinho e tals. E a beringela, uma a uma no plástico à vácuo, à €1.99 por beringela? Cebolas, tem pacotões, e agora o AH tabela: pequenas, médias e grandes, mas na época tinha o sacão genérico e umas cebolas liiindas embaladas duas a duas ( zoete uien ), quando no Brasil a gente compra 2 cebolas? E aprender as carnes em holandês? Tem alcatra, contra-file, file mignon, coxão mole, patinho? NECAS! Tem Ossenhaas que é nosso mignon, custa mais de 30 paus o quilo e vende uns bifinhos de 150 gr., tem o entrecote que é parecido com nosso contra-filé, também custa os tubos, e tem o biefstuk, que é uma carne qualquer coisa, tipo um coxão mole, mas pra falar a verdade, se eu não tenho carne do Makro, só compro os cortes maturados embalados à vácuo do AH, e mesmo assim, tem que comer mal passado senão vira sola de sapato ( biefstuk=bife+estuque).

E o mistério das carnes moídas? Gehakt. A Half-half é pálida que dá até desgosto, barata que só ela, e só deus sabe o que tem ali. Diz o pacote que é meio porco e meio boi, mas pelo cheiro quando frita, desconfia-se de que parte do porco ou do boi vem aquilo. A de boi é a 100% rundvlees, e tem a magra ( magere ), e tem a tartar no AH, que é carne de primeira ( as outras são de segunda ). Eu já disse que eu compro carne no Makro e môo ou compro a orgânica, que é bem passável.

E comprar batatas? Aquelas prateleiras enooooormes, com tudo que é tipo, cremosa ( kruimig ), meio cremosa, durinha ( vaste kokende ), safrinha ( nieuw oost ), 5 kg, 3 kg, pondje, e tão baratas? Mas brasileiro que é bom come mesmo arroz, né? Cadê nosso agulhinha? Não tem! Depois de experimentar vários, me ajeitei com o basmati, o resto fica papa ou é muito quebradinho. Mas o preço… e o tamanho da embalagem? Começa em 400 gr e a maior é a de 2 kg ( no Makro tem sacos de 5 kg ).

Queijos são um capítulo à parte, você escolhe o teor de gordura ( +48, +30 ), a maturação ( jovem, normal, maturado ), e o tipo ( milner, maaslander, beemster, marca da casa, oud amsteram ), e esses queijos não derretem nem no forno, eles suam e ficam molengas, mas derreter mesmo… tem que comprar o pasta kaas ou pizza kaas ralado.

Quando chega o primeiro inverno, claro que a gente se deslumbra com a primeira nevasca, mas… que puta frio, senhor! Aquecedor nas alturas! O que você não sabe é que sua conta de luz / gás é anual, eles estimam seu gasto mensal, te mandam a conta sempre igual, no fim do ano mandam o "ajuste" pra mais ou menos, e como você se tostou dentro de casa com seu aquecedor, você recebe a continha dos 900 euro-paus pra pagar a mais de lambada, sem dó nem piedade. Aí você entende porque o holandês fala: tá com frio, usa roupa quente!

Pô, mas tem uma boa notícia: o 30% ruling. O estrangeiro que vem pra cá trazido por uma empresa ( e não uma mané que nem eu que casou com um holandês ) tem 30% do salário isento de imposto por 5 anos. É uma boooa grana e nem sempre o RH da empresa avisa.

Só sei que eu estou aqui a mais de 7 anos, com marido holandês e tem coisa que eu ainda não sei ou não entendo. Outro dia o chefe me perguntou se eu imigraria de novo pra uma das plantas da empresa, e sinceramente? Teriam que triplicar meu salário e eu ainda ia pensar no assunto.

3 comentários:

Rose e Lisa disse...

oi,

devia ter visto esse post no inicio do ano passado quando me mudei para cá, comprei Varkens achando que era carne moida, afinal Varkens parece com vaca né, o lixo verde eu achei que era reciclado e o preto o normal, joguei um monte de plástico/papel ali (isso sem contar que eu ficava esperando para ver o que os vizinhos iam fazer), e até aprender que tinha que devolver no mercado as garrafas de refrigerante, joguei muito dinheiro lixo.

bjs

Alice disse...

E a madame aqui, que imigrou prá sapolândia com um bebê de 10 meses... Se ela veio com um pivetinho, manda escrever prá mim que sou PhD em coisas que não se sabem sobre bebês na Yolanda. :o)

Unknown disse...

Ola!
Nossa... se eu tivesse lido tudo isso quadno mudei para cá.. tudo teria sido mais fácil!
Adorei o seu post e me identifiquei com vááááárias situações!!!

Beijos
Graziella