quarta-feira, agosto 25

Nem a pau Juvenal


Na semana passada a Companhia americana dona da empresa onde eu trabalho anunciou que abrirá uma fábrica no Brasil. Perdi a conta de quantas pessoas vieram me perguntar se eu vou voltar pro Brasil. E a eles, e a quem mais possa interessar, digo: NEM A PAU JUVENAL.

E digo isso porque na semana passada eu recebi mais uma notícia que reforça minha tese de que aquele país é terra de bandidos e bandoleiros, e que o pobre cidadão comum vale o mesmo que um montinho de cocô de cachorro.

Meu irmão foi vítima da falência da Encol. Ele tinha comprado um apartamento na planta a vista, então imagina o desespero dele ao ver na TV a falência da empresa. Por algum milagre do divino, ele conseguiu, com muito, muito trabalho, receber parte do dinheiro de volta, 15 anos depois!!!

Em 2000 eu comprei meu apartamento também na planta, e com a experiência do meu irmão, me certifiquei de que a obra tinha seguro, e esse tinha com a Nossa Caixa ( antiga Caixa Estadual ), o mesmo banco que financiava o apartamento.

Tudo ía de vento em pôpa, meu apartamento era na primeira torre de quatro, e o prédio já estava praticamente pronto. Eis que a Caixa libera o último pagamento do meu prédio pra construtora que suborna o engenheiro fiscal da Caixa e fogem deixando a obra parada. Um promotor contata os proprietários pra dizer que o seguro seria acionado só se a gente contratasse um advogado.

Contratamos, o seguro foi acionado, e na mesma semana recebemos duas notícias: a papelada do seguro estava irregular DENTRO da Caixa, ía demorar pra regularizar ( demorou 2 anos ), e ao mesmo tempo tínhamos que começar a pagar as prestações porque oficialmente o último pagamento pra construtora foi feito, pela mesma Caixa. Pânico geral, muita gente chorando e se descabelando, como pagar o apartamento onde não se pode morar e ainda pagar-se aluguel, em caso de desistência quem deu FGTS iria perder ou receber de volta só depois de milhares de anos… Bom, long story short, metade desistiu dos apartamentos.

A metade que ficou entrou com um processo contra a Caixa, pedindo danos morais e sei lá que mais, eu me recusei a entrar no "bolo", e com a ajuda de uma prima advogada comecei a pagar as prestações em juízo. Pelos 2 anos que levou-se para julgar a causa eu fui aterrorizada pelos outros proprietários, recebi mil e-mails dizendo que eu estava atrapalhando a "unanimidade" da ação. Tenho até um e-mail que dizia que se eu não entrasse na ação, os moradores não íam esquecer e pra sempre minha vida no prédio seria um inferno. E olhe gente, esse povo não era gente desinformada, ou gente mais simplezinha, pelos e-mails no cc você via que o povo trabalhava em outras montadoras, em empresas de auditoria, em bancos.

Essa turminha perdeu a ação, a Caixa contratou outra construtora, com todas as dívidas com o banco e mais as custas legais, esse grupinho também abandonou seus apartamentos e a construtora teve que colocar mais da metade à venda de novo.

O apartamento ficou pronto com 5 anos de atraso, várias coisas fora de especificação, portas e janelas bem ralés, as paredes com um estuque bem ralé, mas pelo menos o apartamento foi entregue e aos poucos vai-se arrumando.

Semana passada fiquei sabendo que o seguro da Caixa não cobria o INSS que a antiga contrutora ficou devendo, então o governo federal simplesmente lançou o débito como dívida do condomínio e agora o prédio tem uma dívida de 600 mil reais pra pagar. Vejam que demorou 8 anos, da falência até agora, pros moradores serem informados desse "porém". E, por engano da prefeitura, o IPTU nunca foi cobrado e tem outros sei lá quantos mil por apartamento pra se pagar. Tudo com juros de anos e anos e anos, sendo que os moradores nunca foram notificados, logo não tem culpa do atraso do pagamento. Mas ninguém quer saber, quem SEMPRE pode menos no Brasil é o pobre do cidadão, e reclama-se pra quem?

Eu sei que é só um exemplo, mas mostra que tem muita gente desonesta e que não adianta você tentar se proteger, contratar seguros, ler contratos gigantescos com letrinhas miúdas, a corda vai SEMPRE quebrar pro seu lado, e não haverá com quem reclamar, não haverá lei pra te proteger, mesmo que houver uma lei do seu lado vai demorar décadas ( como a Encol ) e sua única certeza vai ser a continha do advogado pra pagar todos os meses. Bandalheira pura.

E o pior, enquanto tudo isso acontecia, quem ouvia a história sempre dizia: "ah, mas comprar imóvel na planta aqui no Brasil é loteria mesmo, é sempre assim, não dá pra contar com o imóvel, se ficar pronto é sorte!". Não é só a desonestidade de certa gente que me choca, é o conformismo de outros!



3 comentários:

Bia disse...

Acho que o conformismo é o pior defeito desse país...

Faz muito bem em ficar fora daqui mesmo, esse país não vai para frente nunca. E o problema, pesar de ser lindo e maravilhoso, sempre vai ser a gentinha que mora nele!

bjs

Mary disse...

Concordo contigo; resume bem a última frase.

Bia Py disse...

Oi Adriana, gosto muito de ler seu blog, e ao ler esta noticia lembrei do seu post de como voce conheceu seu marido.

http://www.abc.com.py/nota/el-amor-en-tiempos-de-clics/

Bia