terça-feira, agosto 31

A Tiazinha usava salto-agulha


S. é holandesa de origem turca. Ela é jovem, recém formada, trabalha na empresa há 2 anos. Eu já falei dela aqui, ela é a colega "toda-barbie". Eu a acho bem bonita, talvez no Brasil ela chamasse menos a atenção, mas aqui na Holanda, entre as loiras magras ( ou não ) peitudas mas razoavelmente desbundadas, que andam parecendo um cabo de guarda-chuva, ela certamente faz algumas cabeças virarem quando passa. Ela não é alta, tem cabelos pretos e olhos azuis, o rosto não lá lindo mas não desagrada, ela tem cinturinha de pilão e quadril bem brasileiro, ela tem toda uma aura sexy, quer pelas roupas bem justas ou pelo jeito dela mesmo.

Eu trabalhei com ela no ano passado num projeto especial e a achei bem inteligente, articulada, com aquela postura de quem corre atrás, pensei: bonita e inteligente.

Acontece que minha percepção não parece ser a da maioria. Eles, na maioria homens, não conseguem passar da imagem, já a classificaram como "bimbo" e é assim que ela é tratada. Só é envolvida em projetos menores, o povo é sempre crítico com os comentários dela, e já os ouvi fazendo piadinhas várias vezes. Não, não é como no Brasil, a "machesa" é uns 10% do que seria lá, mas incomoda.

Depois de uma conversa do grupo que girou em torno da "imagem" da tal garota, deixa eu comentar algumas das minhas conclusões.

As pessoas vão te julgar pela sua imagem. A não ser que você trabalhe na redação de uma revista de moda, sua melhor chance de se dar bem é se vestir de forma neutra. Pode até ser que sua personalidade seja esfusiante e "toda-linda", mas se você quiser ter uma vida menos miserável dentro duma empresa, você tem que "tone-down", suavisar sua imagem. Você acha seus Jimmy Choo's lindos de morrer, ótimo, use-os fora do expediente, porque até aqui na Holanda, onde a homarada é menos macho-man que num país latino, eles dão ao salto fino, salto stilleto, uma conotação sexual ( 100% dos meus colegas atestaram essa idéia ), e quem usa, é "bimbo". Há dois anos, quando essa garota começou, fomos à uma feira de caminhões na Alemanha ( IAA ) e ela foi com um desses saltos, eu não conseguia entender como é que ela não estava morrendo depois de 1 hora, e os colegas só comentavam que tipo de bimbo desmiolada ía numa feira de construtores e fornecedores de peças de caminhão com um salto daqueles. A imagem dela foi feita ali.

Em fevereiro, quando eu fui promovida, eu perguntei a ela se ela tinha interesse em mudar para o meu grupo, e a menina desabafou comigo. Me pediu conselhos, como mudar essa imagem de "bimbo". Eu disse pra ela que eu a achava muito bonita, mas que ela podia suavizar um pouco, que os saltos podiam continuar altos, mas um pouquinho menos ( eu entendo que ela é baixinha e se sente mais "poderosa" com o saltão ) e sem ter salto fino - stiletto ( até eu já a imaginava de lingerie e chicotinho e eu não tenho tendências homossexuais ), mais quadradão; as roupas podiam ser um pouco menos justas, porque ela tem um corpo bonito, ela ía continuar com um corpo bonito com uma saia um numero maior ( até de mumu ela teria o corpo bonito ). No começo ela disse que esse era o "estilo" dela, e veio com aquela conversa de que não vai mudar por causa dos outros, mas aí é que está o pulo do gato, não é mudar, é suavisar, é se adaptar ao ambiente. E ó, me parece meio burrice você saber que está sendo mal interpretada por causa de uma besteira como sapatos e roupas, saber que o mundo é como é e você não vai mudar a cabeça das pessoas, e mesmo assim continuar insistindo nos Luis XV.

Essa semana ela veio me agradecer, todos notaram que desde fevereiro ela deu essa mudada. Sinceramente, hoje ela parece uma jovem e atraente profissional, não uma bimbo. Os saltos dela continuam bem altinhos, mas são mil vezes mais apropriados pro escritório e sinceramente, ela tem ótimo gosto e soube escolher sapatos que satisfaçam a necessidade dela e ainda pareçam mais profissionais. As roupas também "descolaram" um pouco do corpo, tem dias que ela está tão bem no modelito jovem-executiva que até me deprime, até a maquiagem deu uma suavisada.

Sabe, eu acho assim, aqui na Europa dentro das empresas é melhor que no Brasil, mas ainda tem um pouco de machismo sim, já nas ruas, você pode usar pijama de bolinha, ou um modelito das Frenéticas, peruca da Elke Maravilha, a maquiagem da Isabelita dos Patins, os sapatos da lady Gaga e ninguém vai te olhar torto, então, vamos deixar o visual mais ousado pra fora da empresa, né não?



8 comentários:

Liliane Gusmao disse...

Adriana,
Entendi tudo que voce falou, e entendo os conselhos que voce deu, e que bom que a menina aceitou os conselhos, suavisou o visual e teve o seu valor "reconhecido" .
Agora pessoalmente, acho horrível ser forçada a trocar de pares de sapato e cor de roupa para ter respeito... Esses estigmas só afetam mulheres qualquer homem no mundo inteiro, se veste como quer, se calça como quer e o intelecto e o caráter dele nunca vai ser julgado pelo tipo do sapato que usa... Fico tão deprimida com essas constatações... Dá vontade mudar de mundo...

vcdarcie disse...

Nunca imaginei que os homens na Holanda tivessem essa cabecinha. Aqui eles pregam tanto a liberdade, seja de expressao, de orientacao sexual, de roupas, mas a realidade eh mais embaixo.

Samantha disse...

Interessante esse seu post...
Eu nas minhas andanças pela Holanda também aprendi, que homem é homem em qualquer lugar...
No Brasil eles são infernais, eu admito mas mesmo assim homem é homem e vê conotação sexual em tudo, então a gente tem que se impor, não tem jeito...

Livia disse...

Eu entendo que isso pode ser necessário, mas não deixa de me entristecer essa constatação de que somos julgados pelas aparências e que devemos mudá-las de acordo com a opinião dos outros.
Só discordo que seja "burrice" insistir nas vestimentas mesmo se sabendo julgada - se todas fizessem isso, poderíamos pelo menos tentar mudar a mentalidade geral.
A moça tentou, tentou e não conseguiu, por isso desistiu e suavizou. Isso foi, sem dúvida, vantajoso para ela, mas não para todas.
Sei também que cada lugar tem um dress-code e que é preciso, até por respeito e educação, segui-lo. Mas não é o caso dessa moça, ela não ia de shorts e havaianas, ela ia com roupas apropriadas mas sexies, ao seu estilo.
Agora, que é fato, é. Por exemplo: tenho cabelos cacheados, gosto deles assim, e eles não são feios nem mal-cuidados, são bonitos e estão (quase) sempre arrumadinhos. Uma vez na vida outra na morte, eu faço escova. E toda vez que eu faço escova, não preciso pegar o lanche no refeitório porque a funcionária da cozinha leva na sala da diretoria, onde trabalho. Se eu não estiver de escova, ela não leva, leva só o dos diretores. Parece piada, mas toda vez que meu cabelo tá liso ela leva meu lanche e me serve.

Line disse...

Na empresa que trabalho 99,9% dos clegas são homens,e eu tento ser o mais discreta possível, como sempre fui.
Acima de tudo acho que é importante se sentir à vontade com a própria roupa/estilo. O que eu vejo aqui são muitas holandesas vindo trabalhar com roupas que eu não usaria nem pra ir pra balada. As saias são bem curtas, ou aquelas leggings super hiper coladas com uma blusa que não se sabe se é blusa ou vestido (de tão curto). E a maquiagem...bem, esse é um caso à parte, sem comentários!
Eu concordo com você e acho importante que a gente se vista de forma mais neutra no ambiente de trabalho. No entanto, percebo (aqui na empresa)que as mulheres que se vestem como vampiras nem são tão notadas, acho que os homens já acham super normal. Ainda não chegamos ao extremo de rotular ninguém pela roupa que usa, ou pelo sapato...

Nanci disse...

Antes li o artigo a respeito de uma mulher bonita que nao conseguiu uma promoçao nos EUA, acho que tudo sao casos e casos. Concordo que quando se trabalha em uma empresa séria e de tradiçao deve se vestir com seriedade e apropriada para aquele ambiente.

Nao é questao de mudar, mas eu diria que seja questao de estilo e elegancia. Tudo que chama a atençao (for the wrong reasons) deve ser alterado para o seu proprio beneficio. Mulheres elegantes sem vulgaridade ganham respeito e destaque entre os colegas de trabalho, seja na diretoria ou subordinados, isso é o que eu vejo por aqui, as mulheres de alto cargo se vestindo super alinhadas sem vulgaridade, essas sim ganham destaque, acompanhado de muita competencia tb ne.

lih disse...

E ai quando a holandesada toda sai do escritorio e encontra a baranga da holandesona em casa....rsrsrsr ficam com mais vontade de chamar a bimbo de bimbo ainda!!!!! Adoro os seus causos... tudo de muito bom!!!!

lilian moreira disse...

Olá Dri,
Adorei o post, achei muito interessante, mas explica uma coisa o que é BIMBO pelo amor de Deus?

Abraços.

Lílian