domingo, agosto 15

Domingo de Bate Papo: crianças na primeira classe?

Li a matéria da CNN ( clique aqui para ler ) e gostaria de saber, o que você acha?

Porque eu, Adriana, ficaria muito puta se eu pagasse um upgrade tão caro e viajasse com uma criança me incomodando, mas... também não acho justo que os pais não possam pagar um assento a mais pra criança, e até onde eu saiba, para menores de 2 anos as empresas NUNCA reservam ou vendem assentos. E se eu PRECISASSE viajar com um bebê, e pudesse pagar pelo menos uma business pra ter um pouco mais de conforto, eu o faria.

E você, dê sua opinião!

Domingos são tão parados pelas bandas bloguísticas, então vamo bater um papinho.

7 comentários:

vcdarcie disse...

Eu acho que deveria ter uma parte separada para quem esta com crianca, bem longe dos outros. Eu ja tive varios problemas com crianca do meu lado (as vezes que viajei na business nunca vi crianca, felizmente), mas nao importa o lugar que eu escolha na classe economica sempre tem um pentelhinho do meu lado (parece praga). Umas das ultimas vezes que estava indo pro Brasil do meu lado estava papai e mamae com gemeos - que choraram as 12 horas de voo (nao estou brincando) e o pai nao fazia NADA pra eles calarem a boca. Sei que quando cheguei minha viagem pareceu que tinha sido de 30 horas e nao de 12. Entao, vamos fazer um abaixo assinado - pais com criancas a parte dos demais.

Ma disse...

Eu acho que devíamos nos lembrar que todo mundo já foi uma criança pentelha um dia. Tem criança que é um saco mesmo, mas ainda prefiro uma do meu lado no avião do que um adulto fedido e sem educação, que tem aos montes voando todo dia. Se tem dinheiro pra pagar primeira classe, pois que leve até o papagaio.

Ma disse...

E esse papo de colocar os pais com crianças a parte como se fossem leprosos é a coisa mais preconceituosa que já ouvi. Que coisa mais nazista.

Joaninha Bacana disse...

Eu acho que deve ser a mesma política que a de um five-star restaurant: se a crianca sabe se comportar, que seja bem vinda :-) Eu já viajei na business class com uma crianca na mesma fileira que a minha que era um exemplo: olhou filme, jogou um pouquinho e depois dormiu quietinha a viagem inteira. Agora, se os pais já sabem de antemao que a crianca é uma pestinha e que nao vai parar quieta, acho que deviam fazer o mesmo que o cara da entrevista: compreender que quem pagou uma primeira classe quer silêncio e descanso, e encarar um downgrade.
Beijos, e bom domingo, Angie

Eliecy disse...

Olha,

Eu nem iria dar minha opinião neste post, mas acho que pessoas diferentes podem, é claro, ter opiniões divergentes. Mas, o que me assusta mesmo nos dias atuais é a superficialidade das pessoas, ou a pouca produndidade em termos do "ser" humano. Ficar impassível é muito difícil. Eu fico mesmo é com uma frase que ví um dia destes:"Não quero adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.
Oscar Wilde".
Obviamente, nos dias atuais, temos uma sociedade cada vez mais sectária, não é à toa que o nazismo tem menos de 80 anos, isso foi uma das formas mais cruéis da chamada "intolerância".

Sarah disse...

Acho que depende mt das crianças, uma amiga que mora na Holanda viaja com um bebê na classe executiva e é uma das crianças mais tranquilas do mundo e sim quando a criança é menor de 5 anos ela tem que viajar acompanhada de um responsável. Sou contra separar os pais com crianças dos demais passageiros. Independente da classe é realmente chato qd tem uma criança perturbando no vôo, mas acho que os pais podem controlar seus filhos, pq chatice por chatice tem mts adultos que são piores que mts crianças.
Ah legal o seu blog, vim parar aqui clicando nos links do blog de uma amiga.

Andrea disse...

Realmente depende da criança (e dos pais), mas o fato e que uma vez que a criança começa a aprontar dentro do aviao, pouca gente vai ter coragem de falar alguma coisa. Pra nao passar por intolerante, por medo da reaçao dos pais... dependendo da cultura, vao repudiar mais o adulto que ousa reclamar do que os pais permissivos como esses do voo da vcdarcie.

Uma vez indo de Paris a Helsinki uma criança pequena berrou o tempo inteirinho, e os pais nao fizeram nada para acalma-la. Tivessem ao menos tentado, nao teria me dado tanta raiva. Ou raiva nenhuma.