segunda-feira, agosto 16

O Brasil e as malditas sacolinhas de plástico


Eu estava felizinha que o Brasil estava, finalmente, tentando fazer alguma coisa pra acabar com esse absurdo que é a distribuição das malditas e odiosas sacolinhas plásticas, mas vejam a reportagem do Estadão:

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,rio-vai-multar-comercio-que-nao-cumpre-proibicao-a-sacolas-plasticas,593036,0.htm?S

Li os comentários espumando de ódio.

Eu me pergunto, esse povo que resiste tanto é por ignorância, comodismo, burrice, ou uma combinação de tudo isso?

E digo isso porque minha mãe é usuária número um dessas malditas sacolinhas, e não importa o quanto eu fale pra ela parar, chego no apartamento dela e lá está, um odioso "trabalho artesanal" que é um pato de feltro com uma sacola em forma de tubo com uma abertura embaixo, aí você vai colocando os sacos por cima no tal tubo, meio que dobradinhos, e vai puxando por baixo. Minha mãe tem TONELADAS de sacolinhas nesse maldito pato. Ela diz que pra quem mora sozinho e em apartamento, é o tamanho ideal para recolher o lixo do dia e jogar na lixeira do prédio. É também que a indústria toda se adaptou a esses malditos sacos, até a lixeira  já se vende do tamanho certinho pra acomodar o bendito do saco.

Tem gente que vem com essa argumentação barata de que gasta-se mais pra produzir o saco de papel ou os sacos plásticos mais robustos. Eu me pergunto, será que esse povo nunca foi à uma praia do nordeste brasileiro, onde a paisagem é inteirinha tomada por esses sacos? Em Natal, fiquei pasma, é tanto saco nas praias, preso nos arbustos, nas cercas, nos fios… o bugueiro disse que havia um lixão próximo e os sacos eram muito leves e voavam. E é isso mesmo. E além de poluir, acabam enganchando em pássaros, em outros animais… Um horror!

Na Praia do Forte, todos os hotéis exibem no sistema interno de video um apelo para os turistas não usarem as tais sacolas, pois as tartarugas marinhas que adoram comer águas vivas confundem a sacola plástica com as águas vivas e acabam morrendo asfixiadas. E tudo isso porque a dona de casa do caramba se recusa a levar suas sacolas pro mercado.

Minhã mãe diz que o povo fica olhando pra quem leva sacola reutilizável no mercado, que é coisa de Hippie, mas será? Por essas bandas daqui é tão moda que até a LV lançou sua groceries bag! Aqui é o contrário, até tem umas sacolinhas dessas disponíveis no caixa, mas pouca gente usa, e é só pra quem tem um itenzinho ou outro, se a dona de casa for pegar dezenas como se faz no Brasil, aí que todo mundo faz cara feia! E na Bélgica eles cobram 5 centavos por cada saquinho. Certíssimo.

E fica a brasileirada, e até o governo de SP, questionando se a medida é efetiva ou não, como assim? Porque é que a medida é efetiva na Europa e não o seria no Brasil? Devem é estar levando bola do produtor de saquinhos, que isso sim é uma máfia.

Sacos robustos de plástico pra se jogar o lixo são caros? Só porque aí no Brasil o povo é ladrão, aqui por menos de 1 euro compra-se um rolo de 20 sacos de 60 litros, e quantos sacos uma família usa por mês? Saí entramos no mérito, no Brasil usa-se tantos sacos porque produz-se tanto lixo, porque não se recicla nada.

E aí povo, é preguiça de reciclar, ou não se tem os meios?

É mão de vaquisse desmedida agarrar-se  nos saquinhos do mercado ao invés de comprar sacos grossos de lixo, ou é falta de informação?

É ignorância achar que os saquinhos do Carrefour são dados de graça quando na verdade são parte dos custos operacionais do mercado e estão incluidos no preço, ou é "sei mas não tô nem aí"?

Tentem me explicar povo, porque eu não entendo!


13 comentários:

Leticiabon disse...

Que vergonha! Pois é, até comprei umas sacolas de plátisco supergrosso do Carrefour e Pão de Açúcar, mas esqueço sempre de colocar no carro, depois de ler esse post vou fazê-lo. Pois é, eu faço pior qiue sua mãe, além de ter esse "puxa-saco", por coincidência também comprado no Pão de Açúcar, eu ainda compro sacos grandes de plático para colocar os sacos pequenos com lixo dentro! Pior, esses sacos grandes são caros aqui no Brasil sim (se for daquele que rasga fácil, acho que tem por 5 reais, mas o grosso mesmo, que não rasga, pode sair até por 20 reais, É SÉRIO. Então, não sei se é apenas algo "consciente" das pessoas não usar os saquinhos, será que não existe essa indústria no Brasil. Será que as pessoas que não usam saquinhos nos outros países tem mais "consciência" ou foram forçadas a a não usar, tipo multa de trânstito? Ok, tanto faz, o que importa é que vou tentar não usar esses malditos saquinhos...

Jaboticaba Preta disse...

"E aí povo, é preguiça de reciclar, ou não se tem os meios?"

Eu conheço uma senhora que trabalha com lixo reciclado e o que ela mais reclamava era da falta de infraestrutura para reciclar.
Como é comum no Brasil, começar algo e nunca terminar, o governo até timidamente incentiva a coleta seletiva do lixo, mas não da um tostão para recilar o que foi colhido.

Leticiabon disse...

Então, motivada pelo seu post, resolvi levar a "ecobag" que estava esquecida na área de serviço para fazer compras comigo, no sacolão. Realmente, sua mãe tem razão. O povo me olhou com cara esquisita mesmo. Ainda bem que já estou acostumada. Tem uma grande vantagem, a ecobag, é mais fácil de carregar todas as compras, pois eu moro no segundo andar de um prédio sem elevador, portanto não precisei ficar me equilibrando. Cada ecobag (do extra), suporta 15 kg. A desvantagem é levar a tal sacola (ela tem que ficar no carro para eu lembrar) e depois ficar carregando a coitada comigo dentro do carrinho. Fiquei com medo de esquecer. Mas achei a atendente bem treinada, pois ignorou os saquinhos, entendendo o recado. Outra coisa, eu fiquei pensando, eu disperdicei outros saquinhos, aqueles que a gente puxa e arranca, somente para colocar cebelos, bananas e tal. Resumindo: vale a pena. Porém, mesmo eu começando a fazer disso um hábito, seria bom que alguma agência reguladora proibisse essas malditas sacolinhas, ou sei lá, fizesse o mercado cobrar, ou qualquer coisa.

pacamanca disse...

Aqui na Itália esse lance do saquinho não é lei, mas finalmente, FINALMENTE, esse ano os supermercados parece que lembraram que estão na Europa e resolveram incentivar o uso das ecobags em vez dos sacos plásticos (que sempre custaram 5 centavos de euro cada uma, veja bem). Os sacos plásticos disponíveis agora são biodegradáveis e custam 9 centavos de euro cada um, e eles botam tipo assim uma meia dúzia perto do caixa, em vez das pilhas e pilhas que tinha antes.

Quando começou essa história eu ouvi muuuuuita gente na fila reclamar que é um absurdo não ter sacola de plástico disponível, mesmo quando o supermercado te dá uma ecobag de graça, como quase sempre é o caso. Mas é que italiano é cabeçudo mesmo e resistente a novidades, sem nenhum senso de coletividade e zero respeito pelo meio ambiente.

Aqui em casa tenho duas, cada uma correspondente a um cartão fidelidade do supermercado que frequentamos mais, mas eu já usava bolsas de algodão (tipo tote) há ANOS - todas bolsas que ganhamos de brinde de uma maneira ou de outra. Quando fazia compras e dizia que não queria sacola também me olhavam estranho, mas eu aproveitava pra fazer uma propaganda básica e dizia bem alto que plástico polui que é uma desgraça e que andar com sacola de algodão no carro não custa nada, não incomoda, não dói, não engorda, é sinal de civilidade e na Inglaterra faz-se assim há anos e se você usa sacola de plástico é que te olham estranho.

Pra ser sincera, muitas vezes entro no supermercado e esqueço as bolsas no carro. O que eu faço? Simplesmente boto as coisas no carrinho quando pago e ensaco depois, quando chego no carro. Difícil, né.

Daniela Pedrinha disse...

No Brasil eu tentava sempre lembrar de levar as sacolas reutilizáveis, mas se estivesse na rua e entrasse no mercado, acabava tendo que comprar mais algumas ou usava as de plástico mesmo (que agora são cobradas em alguns mercados). Falo alguns pq antes de vir para a Noruega, notei que não cobravam todas as vezes.

Aqui quando vamos comprar algo, levamos no carro as nossas sacolas reutilizáveis e se for pouca coisa e tivermos esquecido, pagamos 0,50 por cada uma.

Acho que levará tempo para o povo brasileiro se acostumar a andar com essas sacolas. Conscientizacão requer reeducar os hábitos, não?

Wilma disse...

Essa coisa de saquinho é uma peste mesmo e um hábito ruim. Possuo três ecobags, mas as vezes esqueço voltar pro carro, mas evito carregar as compras em sacos e mais sacos. O engraçado é que as atendentes já estão acostumadas a ajudar o cliente colocando bastante saco, pois, sabem que as pessoas os usam pro lixo, e algumas estranham quando recuso. Compro sacos pretos que se dizem biodegradáveis, e sai por uns quinze centavos, no Centro do Rio, em lojas de descartáveis. Agora ainda não tenho solução para aqueles saquinhos transparentes que vêm a cebola, pimentão, beringela...aqui até côco, banana eles ensacam pra pesar e não sei o que fazer com esses sacos!! Ontém comprei um pimentão vermelho e outro amarelo, tinham o mesmo preço, os coloquei no mesmo saco, chegando ao caixa ela colocou cada um num saco transparente, por causa do código, Aff!!! complicado. Agora aqui estão surgindo umas bolsas com rodinhas, cada uma linda, pra se ir as compras.

Wilma disse...

Essa coisa de saquinho é uma peste mesmo e um hábito ruim. Possuo três ecobags, mas as vezes esqueço voltar pro carro, mas evito carregar as compras em sacos e mais sacos. O engraçado é que as atendentes já estão acostumadas a ajudar o cliente colocando bastante saco, pois, sabem que as pessoas os usam pro lixo, e algumas estranham quando recuso. Compro sacos pretos que se dizem biodegradáveis, e sai por uns quinze centavos, no Centro do Rio, em lojas de descartáveis. Agora ainda não tenho solução para aqueles saquinhos transparentes que vêm a cebola, pimentão, beringela...aqui até côco, banana eles ensacam pra pesar e não sei o que fazer com esses sacos!! Ontém comprei um pimentão vermelho e outro amarelo, tinham o mesmo preço, os coloquei no mesmo saco, chegando ao caixa ela colocou cada um num saco transparente, por causa do código, Aff!!! complicado. Agora aqui estão surgindo umas bolsas com rodinhas, cada uma linda, pra se ir as compras.

Wilma disse...

Essa coisa de saquinho é uma peste mesmo e um hábito ruim. Possuo três ecobags, mas as vezes esqueço voltar pro carro, mas evito carregar as compras em sacos e mais sacos. O engraçado é que as atendentes já estão acostumadas a ajudar o cliente colocando bastante saco, pois, sabem que as pessoas os usam pro lixo, e algumas estranham quando recuso. Compro sacos pretos que se dizem biodegradáveis, e sai por uns quinze centavos, no Centro do Rio, em lojas de descartáveis. Agora ainda não tenho solução para aqueles saquinhos transparentes que vêm a cebola, pimentão, beringela...aqui até côco, banana eles ensacam pra pesar e não sei o que fazer com esses sacos!! Ontém comprei um pimentão vermelho e outro amarelo, tinham o mesmo preço, os coloquei no mesmo saco, chegando ao caixa ela colocou cada um num saco transparente, por causa do código, Aff!!! complicado. Agora aqui estão surgindo umas bolsas com rodinhas, cada uma linda, pra se ir as compras.

Wilma disse...

Essa coisa de saquinho é uma peste mesmo e um hábito ruim. Possuo três ecobags, mas as vezes esqueço voltar pro carro, mas evito carregar as compras em sacos e mais sacos. O engraçado é que as atendentes já estão acostumadas a ajudar o cliente colocando bastante saco, pois, sabem que as pessoas os usam pro lixo, e algumas estranham quando recuso. Compro sacos pretos que se dizem biodegradáveis, e sai por uns quinze centavos, no Centro do Rio, em lojas de descartáveis. Agora ainda não tenho solução para aqueles saquinhos transparentes que vêm a cebola, pimentão, beringela...aqui até côco, banana eles ensacam pra pesar e não sei o que fazer com esses sacos!! Ontém comprei um pimentão vermelho e outro amarelo, tinham o mesmo preço, os coloquei no mesmo saco, chegando ao caixa ela colocou cada um num saco transparente, por causa do código, Aff!!! complicado. Agora aqui estão surgindo umas bolsas com rodinhas, cada uma linda, pra se ir as compras.

Wilma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wilma disse...

Essa coisa de saquinho é uma peste mesmo e um hábito ruim. Possuo três ecobags, mas as vezes esqueço voltar pro carro, mas evito carregar as compras em sacos e mais sacos. O engraçado é que as atendentes já estão acostumadas a ajudar o cliente colocando bastante saco, pois, sabem que as pessoas os usam pro lixo, e algumas estranham quando recuso. Compro sacos pretos que se dizem biodegradáveis, e sai por uns quinze centavos, no Centro do Rio, em lojas de descartáveis. Agora ainda não tenho solução para aqueles saquinhos transparentes que vêm a cebola, pimentão, beringela...aqui até côco, banana eles ensacam pra pesar e não sei o que fazer com esses sacos!! Ontém comprei um pimentão vermelho e outro amarelo, tinham o mesmo preço, os coloquei no mesmo saco, chegando ao caixa ela colocou cada um num saco transparente, por causa do código, Aff!!! complicado. Agora aqui estão surgindo umas bolsas com rodinhas, cada uma linda, pra se ir as compras.

Wilma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juli disse...

É Dri, eu também fico indignada com esse tipo de comportamento. Outro dia, estava eu na fila do WallMart e lá se vende aquelas sacolas de tecido grosso para fazer supermercado e são baratinhas, eu comprei várias e saí feliz por não carregar tanta sacola plástica, anyway, quando eu estava pegando as sacolas ouvi um cara, atrás de mim, falar com a mulher para comprar também e ela respondeu que não iria sair do supermercado igual uma DOIDA com aquelas sacolas. Dá para acreditar? Um comportamento desse tipo, em pleno século XXI é dureza.